sábado, 20 de agosto de 2016

Angola - Pessoas com deficiência querem regresso às origens

O presidente da Associação Nacional de Deficientes de Angola (ANDA), Silva Lopes Etiambulo, informou ontem, em Luanda, que mais de 50 deficientes físicos que mendigam nas ruas de Luanda manifestaram interesse em regressarem às suas terras natais. Silva Lopes Etiambulo, que falava durante a reunião de balanço semestral do projecto “Vem Comigo Quinta Fase Prolongada”, realizado na sede da Fundação Lwini, explicou que muitos deficientes que mendigam no Largo 1.º de Maio, regressaram por terem sido informados por terceiros que em Luanda estavam a ser distribuídos bens de primeira necessidade. 


O presidente da ANDA informou que a quinta fase do projecto “Vem Comigo” teve início em Agosto de 2015 e conseguiu sensibilizar e consciencializar um número elevado de pessoas com deficiência física no sentido de se enquadrarem nos centros de formação profissional e de alfabetização para ingressarem ou criarem postos de trabalho condignos.


“Graças ao esforço do Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, juntamente com o apoio da Fundação Lwini, a ANDA implementou o projecto “Vem Comigo Quinta Fase Prolongada”, lançado em Agosto de 2015”, disse Silva Lopes Etiambulo, ao apresentar o balanço do primeiro semestre, referiu que cerca de 458 ex-militares residentes nas províncias da Lunda Sul, Bié, Huambo e Huila foram contemplados com o apoio do projecto” Vem Comigo”.

No domínio da formação social, profissional e reintegração no processo produtivo estão actualmente inscritos e a estudar 380 alunos com e sem deficiência nas áreas de canalização, carpintaria, alvenaria e electricidade no Centro Móvel do INEFOP no município da Nharea, no Bié.

“No município do Luau, no Moxico, a associação constatou um número elevado de ex-militares com deficiência e desempregados que necessitam de formação e enquadramento, a viverem num estado de carência”, disse Silva Lopes Etiambulo.

 Já em Saurimo, acrescentou, muitos ex-militares com deficiência e deficientes de causas naturais continuam a mendigar nas ruas mesmo com apoios de organizações e do governo local.

O presidente da ANDA considerou positivo o desempenho do projecto “Vem Comigo” no Bié e Huambo na medida em que os ex-militares estão enquadrados nas cooperativas de produção.


Fonte da Notícia – Veja Aqui

Nenhum comentário: