quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Cabo Verde - Escola dos Cegos arranca novo ano lectivo com 30 alunos

A Escola dos Cegos de Cabo Verde espera ter 30 alunos no ano lectivo 2019/2020.

 A informação foi avançada pelo presidente da Associação de Deficientes Visuais de Cabo Verde (ADEVIC), à Rádio Morabeza. Marciano Monteiro diz que desses 30 alunos, nem todos tem deficiência visual.



"Porque nos aqui também atendemos algumas outras áreas da deficiência, nomeadamente os jovens que estão fora do sistema de ensino mas que têm algum problema com aprendizagem ou aquilo que chamamos de aprendizagem lenta. 

Temos estado a dar alguma resposta também a esses jovens, então prevemos que poderemos ter cerca de 30 pessoas a estudar durante o ano lectivo que vai começar”, explica.

 Marciano Monteiro recorda que a ADEVIC tem prestado todo o apoio ao nível dos materiais didácticos para pessoas com deficiência visual. Materiais que nem sempre são fáceis de obter.

 "Os materiais didácticos que as pessoas com deficiência visual usam para a sua escolarização são muito caros e não existem no mercado nacional. Isso cria-nos alguns constrangimentos",



 avança. O presidente Associação de Deficientes Visuais de Cabo Verde conversava com a Rádio Morabeza à margem do II Seminário Nacional de Recolha de Subsídios para Actualização do Plano Estratégico da associação, que arrancou hoje, na cidade da Praia e decorre até ao próximo dia 20. Fundada em 1993, a Associação dos Deficientes Visuais de Cabo Verde- ADEVIC é uma ONG cujo objectivo é a defesa dos direitos dos deficientes visuais. Segundo o último censo, existem cerca de 13 mil deficientes visuais no país.


  Fonte da Notícia – Veja Aqui

terça-feira, 17 de setembro de 2019

Brasil - Festival de carros e tecnologias às pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida

Ex-narrador esportivo Osmar Santos é o padrinho do evento. 

 

 Expectativa é reunir 12 mil pessoas nos três dias de evento em São Paulo/SP Entre os dias 20 e 22 de setembro, no Campo de Marte, a cidade de São Paulo/SP recebe a 5ª edição da MOBILITY & SHOW 2019.

 

  Exposição de Automóveis, Veículos e Adaptações, Equipamentos e Serviços para Pessoas com Deficiência e Familiares, Idosos e Pessoas com Mobilidade Reduzida e Sequelas Motoras.

 

O evento, com entrada e estacionamento gratuitos, traz ampla e diversificada agenda de atividades, como: 

 

 “Rakaton” com foco em desenvolvimento de projetos inovadores para pessoas com deficiência; como também, os óculos que devolvem aos cegos e pessoas com baixa visão a condição de ler um texto, além de reconhecimento facial; mais de 1.000 vagas de empregos para PCDs na capital e grande SP com cadastramento gratuito de currículos; isenção de impostos para compra de carros 0 Km, vários modelos de adaptações automotivas, competições esportivas, palestras, shows e atividades para crianças, dentre outras.


  “O evento tem como objetivo central o empoderamento dessa parcela da população brasileira, que conta com aproximadamente 46 milhões de pessoas.

 A proposta é reforçar que o público com deficiência e mobilidade reduzida possui direitos previstos em lei e que deve reivindicá-los.

Um dos pilares do evento é justamente esclarecer ponto a ponto as normas legislativas, como por exemplo o benefício da compra de carro 0 Km com isenção de impostos.

Hoje, pela legislação atual, um em cada dois brasileiros pode comprar sim um carro 0km com isenção de impostos, só que não sabe desse seu direito”, afirma Rodrigo Rosso, idealizador e realizador da Mobility & Show.

Nesse ano, o Festival em São Paulo reunirá 17 marcas de automóveis, além de adaptadores de veículos, despachantes, autoescolas, seguradoras, bancos com linhas de crédito e de financiamento, plataforma/elevadores e rampas, triciclos, cadeiras de rodas manuais e motorizadas, próteses e órteses e muito mais.  

Os visitantes podem fazer test-drive em diversos modelos de veículos adaptados, com instrutores treinados, e participar de uma série de atividades, incluindo apresentações e oficinas artísticas, atividades esportivas e radicais, apresentações musicais e outras.

 

 Tudo isso com infraestrutura totalmente acessível, incluindo banheiros, rampas e pisos táteis.

 

 

 Clodoaldo Silva, maior campeão paraolímpico de natação mundial, detentor de diversas medalhas de ouro, é presença confirmada para a abertura da MOBILITY & SHOW. 

 

 Além disso, o ex-narrador esportivo Osmar Santos é o padrinho do evento.

 

O evento também terá a segunda edição do torneio ‘Osmar Santos’ protagonizada por jogadores portadores de Síndrome de Down e com deficiência intelectual.

 

“Pensamos em tudo para oferecer um pacote completo de atrações e facilidades para pessoas com deficiência e seus familiares, reforçando o direito à isenção de impostos na compra do carro 0 Km.


  No Estado de São Paulo, são mais de 10 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência e com direito à isenção.

 No evento, os visitantes têm todas as informações necessárias sobre os benefícios e orientação de como obtê-los, inclusive avaliação médica e tudo de forma gratuita”, explica Rodrigo Rosso. MOBILITY & SHOW 2019 é um produto da C&G 12, com apoio da Revista Reação e chancela da ABRIDEF (Associação Brasileira das Indústrias e Revendedores de Produtos e Serviços para Pessoas com Deficiência). Mais informações:

  www.mobilityshow.com.br 

 

 

 Fonte da Notícia – Veja Aqui

Brasil - Eficiência em ação: evento mobiliza população com deficiência

Projeto “Eficiência em Ação” vai reunir a população de com deficiência física e suas famílias em um evento voltado para a recreação e para os direitos civis.

 

 A ação é realizada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e associações e abre as comemorações do Dia Nacional da Luta das Pessoas com Deficiência, comemorado no próximo dia 21. 


“Vamos mostrar para a sociedade direitos que a pessoa com deficiência tem mas que infelizmente não conhecem”, explica Joaquim Santana, presidente da Comissão dos Direitos das Pessoas com Deficiência da OAB.

O projeto também conta com a participação de faculdades e órgãos estaduais e municipais, além de empresas privadas.

 No local será oferecida orientação para isenção de impostos para compra de veículos para pessoas com necessidades especiais que têm direito sobre descontos de cobranças como IPI, ICMS, IPVA e IOF.

 Amparo Sousa, presidente da Associação de Deficientes Físicos de Teresina, o evento vai fortalecer a população que sofre com as barreiras do preconceito.

 “Para que as pessoas com deficiência se conscientizem dos seus direitos e não aceitem a violação dos mesmos.

A gente fala todos os dias de acessibilidade arquitetônica que infelizmente não é respeitada.

 A gente fala da acessibilidade atitudinal, que é a principal barreira que a gente enfrenta no dia a dia”.  

O projeto também prevê um dia de confraternização, com piscina liberada para crianças, música ao vivo e serviços voltados para as famílias.


  Para Gilmara Costa, presidente da Associação Piauiense pelos Direitos Iguais, o “Eficiência em Ação” tem caráter de informativo. “Mostrar que estamos aqui, que temos nossos direitos e mostrar para os deficientes e seus familiares direitos que muitas vezes eles não sabem”, aponta. Reunir a população com deficiência acompanhada de suas famílias, para os organizadores, é uma forma de mobilizar a sociedade.

 “As pessoas olham a deficiência, mas não olham a capacidade e as habilidades que essas pessoas têm para contribuir com a sociedade”, diz Amparo Sousa.

 

  Fonte da Notícia – Veja Aqui

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Associação Portuguesa de Pais e Amigos dos Cidadãos com Deficiência Mental participou na Beach Soccer League

No decorrer da manhã de ontem, oito utentes, entre os 25 e 32 anos, da Associação Portuguesa de Pais e Amigos dos Cidadãos com Deficiência Mental (APPACDM), foram ao estádio de Buarcos numa experiência única do Beach Soccer League.

 À sua espera tinham alguns convidados especiais, como Patrony, Brilhante e Ricardinho, jogadores da selecção portuguesa, bem como o capitão de equipa, Madjer, que lidera a Fundação Beach Soccer, na Figueira da Foz, e o técnico de equipa, Mário Narciso. 

Os jogadores organizaram alguns exercícios e actividades no areal, onde mostraram as suas habilidades e deram oportunidade aos visitantes de experimentarem esta prática desportiva.



A coordenadora dos Centros de Actividade Ocupacionais da APPACDM da Figueira da Foz, Rita Fernandes, referiu que todos estavam animados uma vez que todos são grandes fãs de futebol de praia e nunca tinham tido oportunidade de experimentar. 

"Quando se ouve falar em futebol de praia, todos associam o pensamento ao Madjer, daí ser muito especial a presença dele aqui ", salientou. Rita Fernandes, salientou ainda a importância que o desporto tem para os utentes da Associação e referiu o esforço que fazem para a realização de actividades deste género, admitindo que esta, em especial, os conseguiu deixar mais entusiasmados do que o normal. 


 Madjer mostrou-se especialmente atento em aprender os nomes de todos os presentes e satisfazer os pedidos de abraços e fotografias.

Entre toda a animação, houve tempo para comemorar o aniversário de um dos integrantes do grupo da APPACDM - o Tiago, que fez 29 anos e que acabou por ter os jogadores e treinadores de Portugal a cantarem-lhe os parabéns. Praia de Buarcos recebe Euro Beach Soccer League Superfinal 2019.

  Depois de ter recebido em 2004 a última das 7 edições do Mundialito disputadas na Figueira da Foz, esta cidade volta a ser palco de um dos maiores eventos de Futebol de Praia a nível mundial. A Final da Liga Europeia de Nações da modalidade realiza-se na zona desportiva da Praia de Buarcos de 5 e 8 de Setembro. 16 países distribuídos por duas divisões A e B disputarão o título de Campeão Europeu (divisão A) e a subida à divisão de elite (divisão B).



Fonte da Notícia – Veja Aqui

Portugal é o melhor destino turístico do mundo para pessoas com deficiência

Portugal é o primeiro país a receber o prémio “Destino Turístico Acessível 2019” da Organização Mundial do Turismo (OMT), que reconhece o esforço na promoção de acessibilidades, anunciou esta terça-feira o Governo. “Portugal é o único país a receber esta distinção, que é atribuída pela primeira vez este ano pela OMT em parceria com a Fundação ONCE, e que reconhece o esforço de Portugal na promoção da acessibilidade no Turismo”, avançou, em comunicado, o Ministério da Economia. 

A distinção foi na terça-feira entregue durante a 23.ª assembleia-geral da OMT, em São Petersburgo, na Rússia. 

 De acordo com o Governo português, só na Europa existem 90 milhões de turistas com necessidades específicas de mobilidade, “pelo que esta distinção é muito importante para posicionar Portugal como líder na acessibilidade”.



Para a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, citada no mesmo documento, este prémio constitui “um grande impulso para que Portugal se torne o destino mais inclusivo do mundo”. 

Apesar de considerar que esta é “uma questão de cidadania”, a governante admitiu que “ainda há muito a fazer”, sublinhando que “quem perde esta carruagem perde o comboio”.


Por sua vez, a secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência, Ana Sofia Antunes, defendeu que este é o reconhecimento “de um trabalho sólido e estruturado” que Portugal tem realizado em matéria de acessibilidades.


  Promoção de acessibilidades


Esta governante destacou ainda o programa Mais Acesso, que irá apoiar projetos de promoção de acessibilidades em cerca de 50 municípios num valor global de 15 milhões de euros, bem como a realização de levantamentos globais das condições de acessibilidade do edificado público.

 “Este Governo tem dado passos seguros no sentido de transformar Portugal num verdadeiro país inclusivo. É um caminho sem retorno, pois a isso nos obrigam todos aqueles para quem trabalhamos”, afirmou Ana Sofia Antunes.


  Paralelamente, em 2016 foi lançado o programa All for All (tudo para todos), com o objetivo de capacitar a oferta turística portuguesa e de criar roteiros acessíveis em todo o país.

 Segundo os dados do Ministério da Economia, até ao momento foram apoiados 116 projetos, que representam um investimento de 20 milhões de euros e que receberam um apoio de 14 milhões de euros. 


 Entre estes encontram-se a criação de acessibilidades no Castelo de São Jorge, em Lisboa, no Convento de Cristo, em Tomar e nas Caves Calém, em Vila Nova de Gaia.

 Neste âmbito foi também lançado o portal Tur4All (turismo para todos), que permite conhecer a oferta hoteleira, de restauração e cultura para pessoas com “necessidades específicas de mobilidade em Portugal e Espanha“.

 Nas escolas de Turismo, por seu turno, passou a ser incluído um módulo dedicado ao turismo acessível e, além do programa Praia Acessível, foi este ano lançado o Festivais + Acessíveis, que visa distinguir eventos que apresentem “condições de acessibilidade para pessoas com necessidades específicas”.


Fonte da Notícia – Veja Aqui

Portugal - “SERÁ MESMO PORTUGAL O MELHOR DESTINO ACESSÍVEL?”, QUESTIONA ASSOCIAÇÃO SALVADOR

Portugal conquistou o prémio inédito de Destino Turístico Acessível 2019, distinção da Organização Mundial do Turismo (OMT) que considera Portugal como o melhor destino turístico do mundo para pessoas com deficiência.


 O prémio, que é atribuído pela primeira vez, reconhece o esforço que Portugal tem feito nesta área, mas “será que é suficiente para ser considerado o Destino de Turismo Acessível de 2019?”, questiona a Associação Salvador.



Salvador Mendes de Almeida, presidente e fundador da Associação Salvador argumenta que “não há qualquer dúvida que projetos como o All4all são iniciativas excelentes e únicas na área das acessibilidades. Só temos de dar os parabéns pelo esforço feito p


ela Secretária de Estado para a Inclusão das Pessoas com Deficiência e pelo Turismo de Portugal, que realmente irá contribuir para uma mudança na área do Turismo Acessível, assim como o Programa Praias Acessíveis, entre outros. Mas será suficiente?”. 


Acrescentando que, “não posso concordar que vivo no melhor destino de turismo acessível se nunca consigo ir sozinho à rua porque me vou deparar com uma série de obstáculos (o principal são os passeios não rebaixados), se uma parte considerável dos serviços públicos, incluindo centros de saúde, não são acessíveis, se tenho de ligar para 10 restaurantes até encontrar um onde possa entrar.” 


 A Associação Salvador concorda que está a ser feito um esforço na área das acessibilidades e acredita que este prémio pode representar e impulsionar o compromisso para continuarmos a apostar nesta área. porém, destaca que “ainda há um longo caminho a percorrer, com urgência. Se Portugal quer posicionar-se como um destino turístico acessível, a mudança tem de ser efetiva e de raíz”.


 Em comunicado, a associação recorda que “existe uma lei de 2006, que necessita urgentemente de ser revista, pois por um lado contempla inúmeras exceções, e por outro lado já foi superado em muito o tempo limite de adaptação que previa para os diferentes tipos de espaços, sem que tivesse existido fiscalização e penalizações.

 Em pleno século XXI, continuam a abrir espaços todos os dias sem acessibilidades, realizam-se obras mal feitas, incluindo passadeiras mal rebaixadas ou rampas demasiado inclinadas, que não é possível utilizar. Neste momento não é possível ter uma boa experiência a nível de acessibilidades em Portugal”. 

 Com este prémio e esta responsabilidade, a Associação Salvador exige que “o Governo atual e do próximo mandato assumam o compromisso da aposta nesta área das acessibilidades”.

“A fiscalização por parte das entidades responsáveis como as Câmaras Municipais e o Instituto Nacional para a Reabilitação (INR) tem de ser exigida, a lei tem de ser revista neste novo ano, assim como as verbas alocadas para a área das acessibilidades. 

Só assim realmente poderemos falar num caminho para sermos um destino de turismo acessível” alerta Salvador Mendes de Almeida. 

As manifestações das pessoas com deficiência foram mais que muitas, argumentando que o prémio não é justo. “Será que emigrei e não dei conta?”, cita Hugo Maia. 

“Este ano desbravei algumas praias e apesar de serem classificadas como acessíveis, a realidade na areia é bem diferente. 

Este prémio só pode ser uma brincadeira.”, Catarina Oliveira. “A maior parte das vezes as plataformas elevatórias estão avariadas, mas por outro lado os Parques de Sintra têm feito um excelente trabalho e deviam ser um exemplo a seguir por todos”, Carlos Nogueira. “Sinto que haverá uma frustação enorme dos estrangeiros quando cá chegarem”, Ricardo Teixeira. 

 A Associação Salvador acredita que “existe aqui uma oportunidade para mudar e realmente mostrar que Portugal pode vir a ser o melhor destino Acessível. Para isso é necessário continuar a trabalhar nesse sentido, e não nos contentarmos com um prémio, que ainda está longe da verdade”. 


Fonte da Notícia – Veja Aqui

Portugal - Associação: Prêmio pode impulsionar o compromisso com a acessibilidade em Portugal

A Associação Salvador considerou que Portugal ainda tem um longo caminho a percorrer quanto às acessibilidades, apesar do prêmio “Destino Turístico Acessível 2019” e exige que o próximo Governo assuma um compromisso de aposta nesta área. 

 Portugal venceu o prêmio “Destino Turístico Acessível 2019” da Organização Mundial do Turismo (OMT), que reconhece o esforço na promoção de acessibilidades.

 A distinção foi entregue na terça-feira durante a 23.ª assembleia-geral da OMT, em São Petersburgo, na Rússia.




Em comunicado, a Associação Salvador congratulou-se com o prêmio que Portugal recebeu, considerando que tem sido feito um esforço na área das acessibilidades, mas ainda não é suficiente. 

 De acordo com a associação, o prêmio pode impulsionar o compromisso para uma aposta na área, mas “há ainda um longo caminho a percorrer, com urgência, se Portugal quiser posicionar-se como um destino turístico acessível”. 

 No comunicado, Salvador Mendes de Almeida, presidente e fundador da Associação Salvador, reconhece o esforço da Secretária de Estado para a Inclusão das Pessoas com Deficiência e pelo Turismo de Portugal, considerando que o prêmio vai contribuir para uma mudança na área do Turismo Acessível, assim como o Programa Praias Acessíveis.


 “Mas será suficiente? Não posso concordar que vivo no melhor destino de turismo acessível se nunca consigo ir sozinho à rua porque me vou deparar com uma série de obstáculos (o principal são os passeios não rebaixados), se uma parte considerável dos serviços públicos, incluindo centros de saúde, não são acessíveis, se tenho de ligar para 10 restaurantes até encontrar um onde possa entrar”, refere. Salvador Almeida lembra que “continuam a abrir espaços todos os dias sem acessibilidades e realizam-se obras mal feitas, incluindo passadeiras mal rebaixadas ou rampas demasiado inclinadas, que não é possível utilizar”.

 “Existe uma lei de 2006, que necessita urgentemente de ser revista, pois por um lado contempla inúmeras exceções, e por outro lado já foi superado em muito o tempo limite de adaptação que previa para os diferentes tipos de espaços, sem que tivesse existido fiscalização e penalizações”, sublinhou. 

Nesse sentido, a associação Salvador exige que o Governo atual e do próximo mandato assumam o compromisso da aposta nesta área das acessibilidades.


  Salvador Mendes de Almeida salienta que “a fiscalização por parte das entidades responsáveis como as Câmaras Municipais e Instituto Nacional de Reinserção tem de ser exigida.


 “A lei tem de ser revista neste novo ano, assim como as verbas alocadas para a área das acessibilidades. Só assim realmente poderemos falar num caminho para sermos um destino de turismo acessível”, frisou.


 Fonte da Notícia – Veja Aqui

domingo, 1 de setembro de 2019

Portugal - DESPORTO - António Marques conquistou hoje a sua nona medalha em Campeonatos da Europa de Bóccia

António Marques, atleta da Associação de Paralisia Cerebral de Coimbra (APCC), conquistou hoje (31 de agosto) a sua nona medalha em Campeonatos da Europa de Boccia, ao integrar a Equipa BC1/BC2 de Portugal que chegou à prata na competição deste ano, disputada na cidade de Sevilha, em Espanha.



A equipa nacional (constituída ainda por Abílio Valente, André Ramos, Cristina Gonçalves e Nelson Fernandes) começou por conseguir o apuramento num grupo bastante equilibrado, em que teve como adversários o Reino Unido, a Holanda e Israel. 

Depois, na fase decisiva, os jogadores portugueses venceram a Eslováquia nas meias-finais, encontrando a Rússia numa final emocionante. 


 Desta forma, Marques – que foi acompanhado, como é habitual, pelo seu treinador e parceiro de competição Emílio Conceição – enriqueceu ainda mais um currículo em que constam outras 12 subidas ao pódio em grandes competições internacionais.

Destacam-se as sete vezes em que alcançou esse feito em Jogos Paralímpicos, que ajudam a fazer dele o praticante mundial de boccia com mais medalhas neste grande evento.

  António Marques é ainda, aos 55 anos, o jogador que há mais tempo participa em provas internacionais da modalidade. Tem desenvolvido todo o seu percurso desportivo na APCC, instituição pioneira no desporto para pessoas com deficiência em Portugal, da qual é utente desde os 14 anos. 


 O Campeonato da Europa de Boccia decorreu entre os dias 26 e 31 de agosto, com os jogos a terem lugar no Palácio dos Desportos de Sevilha. Em competição estiveram 107 atletas, entre os quais 11 portugueses, em representação de 22 países.

 O boccia é uma modalidade mista, disponível desde o lazer e a recreação até ao mais alto nível de competição e com grande tradição em Portugal. Na APCC, a vertente de competição (com diversos atletas a representar a Associação em competições nacionais e regionais) é conciliada com a dinamização da Bocciateca (o primeiro centro de recursos da modalidade do país, destinado à promoção do boccia sénior).



Fonte da Notícia – Veja Aqui

quarta-feira, 28 de agosto de 2019

Brasil - Maior evento do país para pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida, idosos e familiares, MOBILITY & SHOW 2019 apresenta novas tecnologias, tendências e debates voltados à qualidade de vida

Entre os dias 20 e 22 de setembro, no Campo de Marte, a cidade de São Paulo/SP recebe a 5ª edição da MOBILITY & SHOW 2019 – Exposição de Automóveis, Veículos e Adaptações, Equipamentos e Serviços para Pessoas com Deficiência e Familiares, Idosos e Pessoas com Mobilidade Reduzida e Sequelas Motoras.

 

 O evento, com entrada e estacionamento gratuitos, traz ampla e diversificada agenda de atividades, como: “Rakaton” com foco em desenvolvimento de projetos inovadores para pessoas com deficiência; como também, os óculos que devolvem aos cegos e pessoas com baixa visão a condição de ler um texto, além de reconhecimento facial; mais de 1.000 vagas de empregos para PCDs na capital e grande SP com cadastramento gratuito de currículos; isenção de impostos para compra de carros 0 Km, vários modelos de adaptações automotivas, competições esportivas, palestras, shows e atividades para crianças, dentre outras.

 

 “A MOBOLITY & SHOW tem como objetivo central o empoderamento dessa parcela da população brasileira, que conta com aproximadamente 46 milhões de pessoas.

 

 A proposta é reforçar que o público com deficiência e mobilidade reduzida possui direitos previstos em lei e que deve reivindicá-los. 

 

 Um dos pilares do evento é justamente esclarecer ponto a ponto as normas legislativas, como por exemplo o benefício da compra de carro 0 Km com isenção de impostos.

 

Hoje, pela legislação atual, um em cada dois brasileiros pode comprar sim um carro 0km com isenção de impostos, só que não sabe desse seu direito”, afirma Rodrigo Rosso, idealizador e realizador da Mobility & Show.

 

 A MOBILITY & SHOW 2019 São Paulo reunirá 17 marcas de automóveis, além de adaptadores de veículos, despachantes, autoescolas, seguradoras, bancos com linhas de crédito e de financiamento, plataforma/elevadores e rampas, triciclos, cadeiras de rodas manuais e motorizadas, próteses e órteses e muito mais. 

 

 Os visitantes podem fazer test-drive em diversos modelos de veículos adaptados, com instrutores treinados, e participar de uma série de atividades, incluindo apresentações e oficinas artísticas, atividades esportivas e radicais, apresentações musicais e outras. 

 

 Tudo isso com infraestrutura totalmente acessível, incluindo banheiros, rampas e pisos táteis.


  Clodoaldo Silva, maior campeão paraolímpico de natação mundial, detentor de diversas medalhas de ouro, é presença confirmada para a abertura da MOBILITY & SHOW. Além disso, o ex-narrador esportivo Osmar Santos é o padrinho do evento.

 O evento também terá a segunda edição do torneio ‘Osmar Santos’ protagonizada por jogadores portadores de Síndrome de Down e com deficiÊncia intelectual.

 “Pensamos em tudo para oferecer um pacote completo de atrações e facilidades para pessoas com deficiência e seus familiares, reforçando o direito à isenção de impostos na compra do carro 0 Km.

 No Estado de São Paulo, são mais de 10 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência e com direito à isenção.

No evento, os visitantes têm todas as informações necessárias sobre os benefícios e orientação de como obtê-los, inclusive avaliação médica e tudo de forma gratuita”, explica Rodrigo Rosso. MOBILITY & SHOW 2019 é um produto da C&G 12, com apoio da Revista Reação e chancela da ABRIDEF (Associação Brasileira das Indústrias e Revendedores de Produtos e Serviços para Pessoas com Deficiência).


 Fonte da Noticia – Veja Aqui

terça-feira, 27 de agosto de 2019

Portugal com uma estreia e três vagas garantidas a um ano dos Paralímpicos

Falta um ano para o início dos Jogos Paralímpicos Tóquio2020, 

 A um ano do início dos Jogos Paralímpicos Tóquio2020, Portugal tem já a garantia de estreia na paracanoagem e três vagas individuais asseguradas, num apuramento que decorrerá até 03 de agosto do próximo ano.

 "Toda a preparação para os Jogos Tóquio2020 está a decorrer dentro das previsões, e muito recentemente conseguimos o apuramento inédito na modalidade de paracanoagem, que se estreou no programa paralímpico há quatro anos, no Rio de Janeiro", disse à agência Lusa Leila Marques, chefe da missão paralímpica portuguesa.



Com 10 modalidades no programa de preparação paralímpico, entre as quais as estreantes badminton e paratriatlo, a estreia em novos desportos foi um dos objetivos estabelecidos pelo Comité Paralímpico de Portugal (CPP) para o ciclo Tóquio2020. 

 O programa dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, que decorrerão entre 25 de agosto e 06 de setembro do próximo ano, contempla 22 modalidades, entre as estreantes badminton e taekwondo. 

 Com três vagas asseguradas nas modalidades de atletismo, ciclismo e paracanoagem, Leila Marques, antiga atleta paralímpica, admite que a representação portuguesa no Japão possa ser inferior aos 37 atletas presentes no Rio de Janeiro em 2016, "devido a uma questão de redistribuição de vagas". 

 Há quatro anos, Portugal foi um dos países beneficiado com o aumento de quotas de participação, motivado pela exclusão da Rússia, na sequência de um escândalo de doping organizado com apoio estatal. 


 Com o apuramento para a competição a fechar apenas em 03 de agosto, Leila Marques, que participou em quatro edições de Jogos Paralímpicos, antevê "muita agitação nos próximos meses, no que à obtenção de vagas diz respeito".

 "O próximo mês de setembro vai ser recheado de competições que permitem obtenção de vagas, e até maio, quando a Madeira receber os Europeus de natação do Comité Paralímpico Internacional (IPC), vamos ter um calendário de apuramento intenso", afirmou Leila Marques, lembrando que as vagas asseguradas são sempre por país e nunca nominais.

 Com "tudo a correr dentro do previsto" no plano desportivo, a chefe de missão garante que o mesmo sucede no plano organizacional, e prevê para setembro uma deslocação a Tóquio, para se inteirar de todos os pormenores.


O atual ciclo paralímpico deverá ficar marcado pela equiparação das bolsas de preparação paralímpicas às olímpicas, processo que, de acordo com as últimas decisões governamentais, deverá ser concluído durante o ano de 2020. 


 No encerramento dos Jogos Rio2016, os japoneses, que já em 1964 receberam uma competição para atletas com deficiência, prometeram uma competição disputada sob o lema "Mudança e Atitude", empenhada em mostrar que a cada dia se abrem novas oportunidades às pessoas com deficiência.

 Como sucede ininterruptamente desde 1988, em Seul, os Jogos Paralímpicos, a segunda maior competição multidesportiva do mundo, vão disputar-se nas mesmas instalações dos Jogos Olímpicos, que em Tóquio se disputarão entre 24 de julho e 09 de agosto.


  Fonte da Notícia – Veja Aqui

Portugal - DESPORTO - António Marques defende as cores nacionais no Campeonato da Europa

António Marques inicia hoje (26 de agosto) a sua participação em mais uma grande competição internacional de bocci

a. Desta feita, representará Portugal no Campeonato da Europa, que decorre até ao final do mês na cidade de Sevilha, em Espanha.

 O atleta da Associação de Paralisia Cerebral de Coimbra (APCC) competirá individualmente na categoria BC1 e ainda enquanto membro da Equipa BC1/BC2, sendo acompanhado, como é habitual, pelo seu treinador e parceiro de competição Emílio Conceição.



Marques é atualmente o melhor português no ranking mundial da sua categoria e o quinto europeu, tendo já sido medalhado por três vezes na presente época desportiva, nos Opens de Olbia e de Montreal. 

Na Andaluzia, defenderá um historial de respeito a nível continental: já conquistou oito medalhas em Campeonatos da Europa.

 O jogador de 55 anos, e natural de Aveleira (concelho de Penacova), soma já, de resto, duas dezenas de medalhas em grandes competições internacionais em representação de Portugal, sendo de destacar o seu estatuto de praticante mundial de boccia com mais medalhas em Jogos Paralímpicos. 


 António Marques, que desenvolveu todo o seu percurso desportivo na APCC – instituição pioneira no desporto para pessoas com deficiência em Portugal e da qual é utente desde os 14 anos – é também o atleta que há mais tempo participa em provas internacionais da modalidade.

 O Campeonato da Europa de Boccia reveste-se de particular importância por assegurar aos primeiros classificados, nas diversas categorias, a qualificação direta para os Jogos Paralímpicos de 2020, em Tóquio.

 Em competição estarão 107 atletas, entre os quais 11 portugueses, em representação de 22 países.

 Os jogos terão lugar no Palácio dos Desportos de Sevilha.

 O boccia é uma modalidade mista, disponível desde o lazer e a recreação até ao mais alto nível de competição e com grande tradição em Portugal.

Na APCC, a vertente de competição (com diversos atletas a representar a Associação em competições nacionais e regionais) é conciliada com a dinamização da Bocciateca (o primeiro centro de recursos da modalidade do país, destinado à promoção do boccia sénior).


  Fonte da Noticia – Veja Aqui


quinta-feira, 22 de agosto de 2019

Portugal - Minhotos de Clichy. Emigrantes voluntários ajudam a realizar sonhos

Os Minhotos de Clichy. É esta a associação criada por Miguel Pires e Fernanda Pires, naturais de Terras de Bouro e Vila Verde, respetivamente. Com sede nos arredores de Paris, esta associação já doou 450 mil euros aos incêndios em Pedrógão, em 2017, 15 mil euros para uma instituição no Sudão do Sul, 10 mil euros para a reconstrução de uma casa após um incêndio em Rio Caldo e ainda uma instituição de Famalicão, que acolhe crianças retiradas ou abandonadas pelos pais, a ATC Giestinhas. Estas foram algumas das causas apoiadas pela associação que, na última sexta-feira, visitou o IPO do Porto para apoiar as crianças e os familiares.



No Gerês, o batismo náutico realiza-se em junho, “porque a marina é reservada unicamente a esta atividade e nos outros meses está ocupada com muitos visitantes”. 

 Esta iniciativa não é apenas para pessoas com deficiência, mas também para instituições, crianças que foram tiradas ou abandonadas pelos pais ou grupos da catequese. 

 O objetivo é dar a oportunidade a quem nunca andou de barco poder passear por águas do Gerês. O evento conta com passeios de barco, comida e bebida, música e animação. 

A organização oferece bonés do McDonald’s, uma das entidades patrocinadoras, que também ofereceu 1.000 Chupa Chups, tal como a Carclasse, que ofereceu camisolas a todos os participantes e uma vitela para o almoço. 


 No Gerês, o batismo náutico realiza-se em junho, “porque a marina é reservada unicamente a esta atividade e nos outros meses está ocupada com muitos visitantes”.

 Esta iniciativa não é apenas para pessoas com deficiência, mas também para instituições, crianças que foram tiradas ou abandonadas pelos pais ou grupos da catequese.

 O objetivo é dar a oportunidade a quem nunca andou de barco poder passear por águas do Gerês.

O evento conta com passeios de barco, comida e bebida, música e animação.

 A organização oferece bonés do McDonald’s, uma das entidades patrocinadoras, que também ofereceu 1.000 Chupa Chups, tal como a Carclasse, que ofereceu camisolas a todos os participantes e uma vitela para o almoço. Miguel Pires explica que o número não pode ultrapassar as 500 pessoas, porque a associação “não dá apenas o acolhimento para um passeio de barco, oferece ainda comes e bebes” e todo o material necessário, apesar das ajudas de outras entidades e voluntários.

 “Nós só pagamos a barraca e o aluguer dos insufláveis, depois temos outras ajudas de fora.

 O Intermarché de Amares, o ano passado, ofereceu água e sumos. Santo Tirso ofereceu 600 peças de fruta, pessoas particulares”. Também a Cruz Vermelha de Rio Caldo participa nestas atividades como voluntários, bem como o fotografo do SC Braga, que tira fotografias individuais para os diplomas dos participantes.


  O batismo náutico, no Rio Caldo, começou com a ajuda de Vânia, que trabalha na área da assistência social, contou Miguel, acrescentando que também “foi ela que nos pôs em contacto com o IPO do Porto”.



Para o próximo ano, o objetivo é organizar dois dias destas atividades, reservando um apenas para as crianças no serviço de oncologia do IPO.

 Também está a começar a ser organizada uma possível viagem à Disneyland Paris com um grupo de crianças escolhidas pelo IPO do Porto, com tudo pago pela instituição. 

“Estes gestos tão simples e banais para nós podem mudar, e mudam, a vida das crianças”. 


 Todas as iniciativas têm a participação especial da Vânia Durães, voluntária, que os apoia em toda a logística e preparação dos eventos e foi graças ao seu carisma social que a dinâmica da associação cresce em Portugal de ano para ano.


Minhotos de Clichy angariaram 450 mil euros para Pedrógão 


 Em 2017, Pedrógão foi atingido pela tragédia provocada pelos incêndios e a associação doou 450 mil euros para Portugal.

  O dinheiro para organizar estes eventos surge de festas e espetáculos que a associação organiza durante o ano para angariar fundos. São realizados jantares, convidados artistas para juntar o dinheiro necessário. Miguel Pires conta que a associação surgiu em 2001, após ter saído da associação a que pertencia anteriormente, que integrava um grupo de futebol. 

Por motivos de força maior, Miguel teve de deixar a presidência daquela associação e decidiu criar de raiz, em conjunto com a família e dois casais amigos de Santo Tirso, a Associação Os Minhotos de Clinchy.

 Esta é uma associação com fins sociais.




“Na altura eu disse que queria criar uma associação para ajudar causas sociais”, revelou. 

Já foram realizadas ações como a “Roupa sem Fronteiras”, na qual foram recolhidas 60 toneladas de roupa para oferecer. 

“Recolhemos roupa, lavamos, passamos a ferro e selecionamos por idade e tamanhos”. 

 O ano passado a associação juntou 15.000 euros para uma instituição no Sudão do Sul, na qual o dinheiro foi oferecido a uma missionária que está no Sudão há 15 anos. 


 Há dez anos, uma senhora em Rio Caldo ficou sem casa devido a um incêndio e a associação juntou 10.000 euros para a reconstrução.

 A ATC Giestinhas, em Famalicão, também foi um dos alvos dos Minhotos de Clichy.

 “O nosso único interesse é a alegria das crianças”, disse Miguel Pires.

“O que nós temos feito pelas instituições com crianças com deficiências mentais e motoras é ajudar a conquistar sonhos”.


Fonte da Notícia – Veja Aqui

Brasil - Pessoas com deficiência visual cobram eletrodomésticos adaptados

O aprimoramento de eletrodomésticos e produtos eletrônicos para pessoas com deficiência, principalmente visual, foi defendido nesta terça-feira (20) em audiência pública interativa na Comissão de Direitos Humanos (CDH). Por iniciativa da senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP), a discussão tem como objetivo verificar a adequada concepção e produção de produtos acessíveis ao consumidor brasileiro.





Para os participantes do debate, a oferta de produtos adaptados, como geladeiras, microondas, impressoras, telefones, televisores e máquinas de lavar facilitaria a vida das pessoas com deficiência visual e contribuiria para a inclusão social dessa parcela da população, que hoje chega a sete milhões de pessoas no Brasil.



 Durante a audiência pública, foram exibidos vídeos em que pessoas com deficiências visuais sugeriram adaptações diversas em máquinas e utensílios domésticos aos fabricantes.

As recomendações incluíram uso de letras ampliadas para baixa visão, alto-relevo, dispositivos sonoros e marcações, entre outros.


  Parâmetros legais


 Idealizador do Movimento pelo Livro e pela Universidade Acessíveis (Molla), Naziberto Lopes de Oliveira disse que existe uma insatisfação muito grande em relação a produtos e serviços que não atendem às pessoas com deficiência visual enquanto consumidores.

 Entre os pressupostos legais a favor das pessoas com deficiência, ele citou o Código de Defesa do Consumidor e a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Lei 13.146, de 2015).

 A norma, que define parâmetros de acessibilidade, incorporou princípios de convenção internacional da Organização das Nações Unidas (ONU) e já conta com dispositivos regulamentados, e outros em regulamentação.

 — É uma reivindicação de direitos. Compramos e pagamos o mesmo preço pelos produtos.

Com adaptações mínimas, os produtos vão se tornar brinquedos, e as pessoas terão disposição para renová-los – afirmou. Presidente da Associação Brasiliense de Deficientes Visuais (ABDV) e representante da Organização Nacional dos cegos do Brasil (ONCB), Denise Lucia Braga Melo disse que a acessibilidade deve ter início no manual dos produtos.

 — A gente não pede nem que esteja em braille, a gente pede que seja acessível – afirmou. Presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros), José Jorge do Nascimento Junior disse que a fabricação de eletrônicos envolve projetos em que já está presente a evolução dos equipamentos, como forma de atender demandas maiores.

 — O design dos produtos está se adaptando cada vez mais ao desenho universal. As normas técnicas não existem, mas, mesmo assim, a indústria vem oferecendo esses produtos – afirmou.


 Exercício da cidadania 


 Chefe de Divisão de Indústrias Intensivas em Mão-de-Obra e Bens de Consumo do Ministério da Economia, Marco Antônio Nunes Bastos disse que a acessibilidade é essencial para o pleno exercício da cidadania.

Ele ressaltou que pequenas adaptações já são suficientes para uma considerável melhora da qualidade de vida, e que a adoção de tecnologias assistivas (que ampliam habilidades funcionais) favorece o aprimoramento de diversos produtos eletrônicos.

 Presidente da Associação Brasiliense de Deficientes Visuais do Distrito Federal, Justino Bastos Pereira cobrou a sensibilidade de fabricantes de linha branca e marrom, com a oferta de produtos que favoreçam a autonomia de escolha. Coordenador geral de Acessibilidade e Tecnologia do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Rodrigo Abreu de Freitas disse que a tecnologia beneficia todos os segmentos da população, e não apenas aquela parcela com algum tipo de deficiência.

 — O número de idosos está aumentando. A prevalência da deficiência acima dos 60 anos é maior, principalmente sensorial, auditiva e visual.

Temos que eliminar essas barreiras que estão presentes em vários lugares – afirmou.


  Acessibilidade 


 Autora do requerimento da audiência pública, a senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP), que não pôde estar presente no debate, observa que "a acessibilidade em favor da pessoa com deficiência no Brasil não é apenas mera carta de intenções do legislador ou um vago conteúdo programático". “Não há motivo que impeça, ao menos, o planejamento e desenvolvimento de bens de consumo duráveis e acessíveis, como equipamentos e utensílios domésticos, para a cozinha e para o lazer audiovisual, que habitualmente chamamos de linha branca e de linha marrom.

Nada mais irracional que, ao público com deficiência, sejam impostas dificuldades extras com a oferta de bens que não atendem às suas necessidades.

A economia brasileira só tem a ganhar se souber adequadamente atender à satisfação da demanda reprimida por produtos domésticos plenamente acessíveis”, destacou a senadora no requerimento que pautou a audiência.


Fonte da Notícia – Veja Aqui

terça-feira, 20 de agosto de 2019

Portugal - Évora recebe o Handi Fly International Challenge’19 (c/fotos)

O aeródromo de Évora acolhe de 20 a 24 de Agosto o evento Handi Fly International Challenge’19.

 

  Pela primeira vez em Portugal, o Handi Fly, é uma Competição Internacional de Paraquedismo para pessoas com deficiências motoras.

 

 O evento contará com a presença de 24 equipas oriundas de 21 países. 

 

 A representar Portugal estará a equipa da Skydive Portugal, da Flyforfree e do Pára- Clube As Boinas Verdes

.

 As equipas são constituídas por três elementos, um atleta, um piloto e um operador de camara que registará o desempenho do atleta. 

 

 O salto é avaliado de forma individual por um juiz, tendo em conta as condições atmosféricas e o tempo de execução. Dada á especificidade do evento, a Federação Portuguesa de Paraquedismo conta com o apoio de um médico da sua congénere Federação Francesa e um diretor de competição da Federação Francesa,responsável pela organização do Handi Fly International Challenge   2016, que se constituiu aqui um parceiro importante na organização e logística deste evento.

 

 A Câmara Municipal de Évora é outro dos principais parceiros desta do evento competitivo. Carlos Pinto de Sá, Presidente da Câmara Municipal de Évora, aclara que a mobilidade é uma questão que preocupa e faz parte da agenda do executivo e lembra que a 6 de maio, "Évora acolheu o 'Dia Paralímpico', evento que contou com a participação de alunos de várias escolas, federações e associações nacionais de desporto para pessoas com deficiência".


  Para o Presidente da Câmara Municipal de Évora, "a sociedade ainda não está totalmente sensibilizada para esta matéria e naturalmente estas iniciativas permitem não apenas sensibilizar, mas mostrar que há caminhos para construir formas mais iguais de viver em sociedade".

Os atletas serão recebidos a dia 20 de agosto, numa sessão de abertura que contará com a presença de todas as instituições e entidades parceiras do evento.

A competição terá início na manhã do dia 21 de agosto e irá prolongar-se até dia 23.

O último dia de disputa irá contar com a presença do Secretariado de Estado da Juventude e do Desporto João Paulo Rebelo, e o seu chefe de gabinete Filipe Pais, que irão realizar o seu batismo de voo.

 A edição do Handi Fly International Challenge termina na noite de 23 de agosto numa gala de entrega de prémios, na qual estará presente o Secretário de Estado da Juventude e do Desporto.

 

 A sessão de encerramento contará com a atuação de vários Grupos de Cante Alentejano. 


Este é um evento organizado pela Câmara Municipal de Évora, Federação Portuguesa de Paraquedismo e Federação Francesa de Paraquedismo.

Tendo o apoio do Instituto Português do Desporto e Juventude, Turismo do Alentejo, Turismo de Portugal e ainda das instituições APPACDM, APCE, ARASS E ASCTE.



  Fonte da Notícia – Veja Aqui

sexta-feira, 16 de agosto de 2019

Angola - “Vem comigo” insere mais de 110 mil pessoas

Ao todo, 111.724 pessoas portadoras de deficiência física em todo o país, estão registadas no projecto “Vem Comigo”, e destes, 100 mil foram inseridos no mercado de trabalho, através de cooperativas agrícolas, criadas e controladas pela Associação Nacional de Deficientes de Angola (ANDA).

 

 A informação foi avançada ontem, pelo presidente da ANDA, Silva Lopes Etiambulo, na província do Bengo, município de Canacasala, onde está situada a Cooperativa Agropecuária Campos Kimangumbo.

 
De acordo com o presidente da ANDA, a associação tem registado 57.517 associados, sendo que as províncias mais representadas são as do Huambo, Moxico e Cuando Cubango.

“O nosso plano é continuar a ajudar todas as pessoas com deficiência no país sobretudo aquelas que nunca tiveram apoio”, disse. />O projecto “Vem Comigo”, teve início, em 2004, é financiado pelo Maptss, supervisionado pela Fundação Lwini, coordenado, executado pela ANDA e é implementado em 12 províncias, com o foco na formação profissional, criação de cooperativas agrícolas e pequenos negócios. A sexta fase do projecto, em execução, prevê inserir no mercado do trabalho 2.750 pessoas com deficiência, que vai abranger as províncias do Bié, Cuando Cubango, Cabinda, Uíge e Moxico.


  Fonte da Noticia – Veja Aqui

terça-feira, 6 de agosto de 2019

ortugal - Apoio à Vida Independente ajuda quem mais precisa no Baixo Alentejo

Apoiar pessoas com deficiência ou incapacidade, residentes nos concelhos de Castro Verde, Ourique, Almodôvar, Mértola e Odemira.



Este é o objetivo do Centro de Apoio à Vida Independente (CAVI), da Cooperativa Cercicoa, inaugurado esta segunda-feira 29 de Julho, em Almodôvar, por Vieira da Silva, ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social. 


Esta é uma iniciativa realizada no âmbito do programa Modelo de Apoio à Vida Independente (MAVI).

 Segundo António Bota, presidente da Câmara de Almodôvar, estas são «medidas inovadoras em Portugal no âmbito do apoio às pessoas com deficiência, protagonizadas neste caso pela CERCICOA, com sede em Almodôvar». Já existe «em funcionamento uma estrutura de gestão de apoio à vida independente, responsável pela disponibilização da assistência pessoal às pessoas com deficiência ou incapacidade», acrescenta.

O novo CAVI apoia, por exemplo, perto de 20 pessoas, segundo o jornal Correio do Alentejo.


  A ideia é possibilitar atividades que, de outra maneira e sem ajuda, seriam impossíveis.



A Cercicoa responde assim a um problema social, com programa de âmbito nacional, e contribui ainda para o crescimento da empregabilidade no concelho de Almodôvar com recurso a técnicos operacionais e a técnicos especializados para laborarem nesta atividade tão difícil mas de tanta importância para todos nós», refere António Bota.

 Nesta visita e inauguração também participou Ana Sofia Antunes, secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência.


Fonte da Notícia – Veja Aqui

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Portugal - GUIA DIGITAL PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA JÁ DISPONÍVEL

Está disponível a partir de hoje, dia 31 de julho, um Guia Digital com toda a informação relevante para as pessoas com deficiência



Está disponível a partir de hoje, dia 31 de julho, um Guia Digital com toda a informação relevante (desde apoios sociais, medidas de apoio ao emprego ou benefícios sociais) para as pessoas com deficiência e os seus familiares e cuidadores. 


O “Guia Prático: Os direitos das Pessoas com Deficiência em Portugal” pode ser consultado aqui: https://www.portugal.gov.pt/download-ficheiros/ficheiro.aspx?v=acea3dd4-6fd5-4c1e-8764-267cc3631c2b 


 Neste guia é possível ter acesso a informação de várias áreas de interesse e respetivos serviços públicos em Portugal.

É também objetivo que o guia funcione como “instrumento formativo”, já que “esclarece sobre terminologias corretas a adotar”, e com isso ajuda as pessoas com deficiência “na concretização dos seus direitos e na sinalização de práticas de discriminação em razão da deficiência”.



  Fonte da Notícia – Veja Aqui

Brasil - Treinadora de Fartura fala das expectativas para o Mundial de Jovens de Paratletismo

Thaís Saito treina a dupla Cristian e Thomaz em Jundiaí e ainda fará parte da delegação brasileira nos Jogos Parapan-americanos de Lima este ano.

 Criada em Fartura, a treinadora Thaís Saito tem levado recentemente o nome da cidade aos quatro cantos do mundo. Ela é integrante da equipe que trabalha com os jovens do PEAMA (Programa de Esportes e Atividades Motoras Adaptadas), iniciado em 1996 em Jundiaí, e desde então berço de vários atletas integrantes do time Brasil de paratletismo.



O próximo compromisso do pessoal do PEAMA é o Mundial de Jovens de Paratletismo, que será disputado em Nottwil, na Suíça, a partir desta quinta-feira (1). Dois atletas em especial – Cristian e Thomaz – têm relação próxima com a equipe de Thaís desde os seis anos de idade e representarão o Brasil no velho continente.


“Os dois passaram por várias modalidades e têm se destacado no atletismo. Ambos também já defenderam a seleção brasileira pelo esqui cross-country – temos uma espécie de parceria com a CBDN [Confederação Brasileira de Desportos na Neve]. Um deles tem o melhor resultado de um sul-americano na história das Paralimpíadas de Inverno”, conta Thaís, fazendo referência ao 6° lugar de Cristian na edição de PyeongChang ano passado.

“O Thomaz até tinha o índice [para competir], mas o país não possuía vagas suficientes.” Cristian e Thomaz


Depois de passar pelos esportes de inverno, o cadeirante Cristian Westemaier Ribeira, de 16 anos, faz sua estreia na seleção de paratletismo sub-18, nos 100m, 200m e 1.500m. 

Thomaz Ruan de Moraes, nascido um ano antes com uma má formação no braço direito, já competiu em outras seis oportunidades pela equipe: participou do Parapan de Jovens, do próprio Mundial (de 2017) e de uma etapa do Grand Prix com a seleção adulta. 

Agora, participa pelo sub-20 dos 100m, 200m e 400m.



Thomaz e Thaís também representarão o Brasil nos Jogos Parapan-americanos de Lima, no Peru, após o mundial da Suíça. 

Essa foi a primeira convocação para a delegação brasileira na carreira da treinadora, que ainda verá um de seus pupilos participar do Mundial de Atletismo, em Dubai, no mês de novembro.

 Inclusive, Thomaz tem chances de ir para as Paralimpíadas de Tóquio 2020 e está treinando na capital São Paulo, acompanhado por técnicos da seleção. 


 No esporte paralímpico, os atletas são classificados em categorias que procuram equivaler deficiências semelhantes. Cristian compete pela categoria T54, uma classe funcional para cadeirantes com menos comprometimento de movimentos, enquanto Thomaz está na T47, para amputados de membros superiores, abaixo do cotovelo. O esporte na vida dos jovens com deficiência


  Apesar de se considerar farturense pela relação que possui com a cidade, Thaís lembra que, quando o assunto é o esporte para pessoas com deficiência, o município ainda está atrasado em relação a alguns outros da região, por não possuir iniciativas que atendam a essa população.



“Vejo mais em Taquarituba e em Sarutaiá, principalmente. Já encontrei atletas de lá várias vezes em outras competições”, comenta a treinadora. 

 A inclusão não vem apenas no desempenho físico, mas também no papel dentro de casa. “No caso deles [Cristian e Thomaz], o esporte lhes dá a oportunidade de ajudar em casa, pois ganham Bolsa Atleta. Também puderam conhecer o mundo nessas competições, já foram para a Noruega, Finlândia, Alemanha, Coreia do Sul”, continua. 

As famílias também são grandes incentivadoras dos meninos, que, apesar de ainda jovens, já inspiram os mais novos no PEAMA a persistirem em seus objetivos. 


 Nosso foco não é o alto rendimento, sempre foi atender à população oferecendo uma chance de incluir as pessoas com deficiência através do esporte. Mas, com o passar do tempo, alguns foram se destacando. Temos atletas que já foram ou são recordistas brasileiros.

Uma foi para as Paralimpíadas do Rio, em 2016”, completa Thaís, orgulhosa do grande trabalho de seus alunos e de sua equipe.

O PEAMA teve 3 representantes nas Paralimpíadas Escolares. Cris e eu na Natação e o Thomaz no Atletismo.. Thomaz foi vice campeão brasileiro nos 100m, 400m e salto em distância.



Cristian foi vice campeão brasileiro nos 100m Costas e 50m Livre ; e campeão brasileiro nos revezamentos 4x50m Livre e 4x50m Medley. 

As modalidades que participamos ficaram campeãs e ajudaram o Estado de São Paulo se tornar Tetra campeão das Paralimpíadas Escolares! Parabéns meninos! 


 Parabéns a todos os atletas da seleção Paulista e a todos os técnicos, convocados ou não. Obrigada Sérgio Gatto por fazer com que nossos alunos pudessem participar desse grandioso evento..

 É campeão!


Fonte da Notícia – Veja Aqui

Angola - LARDEF apoia filiados nas políticas de inclusão

Liga de Apoio à Integração dos Deficientes (LARDEF) tem, nos últimos anos, apoiado os associados, facilitando-lhes o acesso à formação profissional, visando a sua inserção no mercado de trabalho, anunciou, ontem, em Luanda, o coordenador nacional de programas para Mobilização e Advocacia da associação.

 Em declarações ao Jornal de Angola, António Afonso disse que a LARDEF tem apoiado os associados, dando-lhes oportunidade de formação e, posteriormente, enquadrá-los no mercado do emprego. Lembrou que é importante que as pessoas com deficiências estejam bem preparadas tecnicamente, tendo em conta que ainda se assiste actos de discriminação em algumas instituições.



Para os casos de discriminação, António Afonso disse que a associação tem trabalhado junto das instituições, passando mensagem no sentido das empresas adaptarem a realidade para com as pessoas com deficiências, visando criar um ambiente acessível, de acordo com as suas capacidades.

 António Afonso solicitou apoio às pessoas deficientes e repudiou os actos de discriminação por parte do empregador, colocando em causa a competência profissional dos deficientes. 


 António Afonso disse que no âmbito das políticas de fomento ao auto emprego, a LARDEF, em parceria com o Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INAFOP), têm ministrado cursos básicos de pequenos negócios, que visa capacitar os associados para as formas como iniciar um negócio e os métodos de gestão para evitarem falência.

A LARDEF tem realizado acções de sensibilização as pessoas com deficiência no contributo de melhorar a sua auto estima, mostrando-lhes que estão num mundo competitivo.

Antes de serem deficientes são, acima de tudo, cidadãos que devem conhecer as suas capacidades e os seus direitos e dar o seu contributo em prol do desenvolvimento do país.

 António Afonso disse ainda que, nos últimos anos, a associação tem desenvolvido actividades de advocacia, sensibilização e “lobyng”, assim como a implementação de microprojectos geradores de rendimento a favor das pessoas com deficiência e suas famílias.


  Fonte da Notícia – Veja Aqui

segunda-feira, 22 de julho de 2019

Guiné-Bissau - Sistema nacional de saúde da Guiné-Bissau está doente"

Relatório da Liga Guineense dos Direitos Humanos apresenta um quadro negro do sistema de saúde, com corrupção à mistura. Falta tudo, desde orçamento a equipamento e fiscalização. 

 Um estudo apresentado em Bissau, nesta quinta-feira(18.07), pela Liga Guineense dos Direitos Humanos da Guiné-Bissau mostra que o sistema nacional de saúde do país está doente, quase inoperante, ineficaz e pouco transparente, onde os doentes são obrigados a comprarem tudo para serem assistidos nos centros de saúde públicos, com equipamentos obsoletos. A Liga fala ainda em corrupção no processo de junta médica.




O país regista uma das mais elevadas taxas de mortalidade materna e neonatal da sub-região oeste africana, refere o relatório sobre o Direito à Saúde. 

O documento, produzido em 2018 e apresentado nesta quinta-feira pela Liga Guineense dos Direitos Humanos, relata disfuncionamento do sistema de saúde, que contribui decisivamente para o agravar dos problemas no acesso e a qualidade do serviço de saúde prestado aos guineenses, disse o presidente da Liga, Augusto Mário da Silva. 


 "O disfuncionamento do nosso sistema de saúde começa desde logo com a insignificante dotação orçamental afecta a este setor estratégico, passando pela insuficiência dos recursos humanos em termos qualitativos e quantitativos, pela degradante situação das infraestruturas e dos equipamentos devido à falta de manutenção adequada, pela repartição desigual dos recursos disponíveis, venda no mercado farmacêutico nacional de medicamentos de origem duvidosa, bem como pela ausência de mecanismos de controle da atuação dos profissionais que intervém no sector", lê-se no documento apresentado em Bissau.


  O relatório da Liga Guineense dos Direitos Humanos sobre o direito à saúde constatou que, mesmo como os apoios internacionais, os programas nacionais de combate às doenças, como a malária e o HIV/SIDA, apresentam falhas graves e que as respostas que têm sido apresentadas à população não são adequadas.




Os profissionais de saúde são acusados de fazer o mínimo possível para salvar a vida, de enraizar a cultura do improviso e de abdicar da cultura de excelência.

 A isto acresce uma cultura institucional pouco colaborativa em que os médicos se sabotam ou trabalham uns contra os outros.


  Corrupção na junta médica 


 O relatório refere ainda um baixo nível de fiscalização, fraca capacidade de gestão nos hospitais e uma falta de transparência nos centros de saúde.

E sublinha a corrupção no processo de atribuição de junta médica, em que os doentes ficam na Guiné-Bissau e os candidatos à imigração são contemplados. Ainda de acordo com o diagnóstico apresentado pela Liga Guineense dos Direitos Humanos, o sistema de saúde guineense não tem mínimas condições de resposta às catástrofes naturais ou epidemias.

Na longa lista de problemas estão também a deficiente cobertura dos serviços de cuidados primários de saúde, insuficiência ou quase ausência de meios de diagnósticos e outros equipamentos médicos indispensáveis, diz o relatório apresentado por Augusto Mário da Silv

"A tudo isso, se associam o disfuncionamento da inspeção sanitária, excessiva dependência de apoios do exterior para o funcionamento de rotina, ausência de um mecanismo legal e institucional de integração e coordenação do sector privado e de medicina tradicional, implantação anárquica de postos inaquados de tratamento médico, aquisição e introdução de medicamentos no mercado sem qualquer mecanismo rigoroso de controlo de qualidade, enfim, o Sistema Nacional de Saúde Guineense está doente", referiu.


Doentes compram até fios de sutura

 Na Guiné-Bissau, segundo o relatório, o cidadão comum é obrigado a comprar até as luvas que o médico usa para ser assistido no hospital público.

E no interior do país, onde vivem guineenses mais pobres, a situação é ainda pior. Em todos os hospitais e centros de saúde, a Liga encontrou falta de meios ou equipamentos de diagnóstico obsoletos, citando o caso do tratamento do cancro para realçar a inexistência de um modelo de despiste atempado, o que leva à morte muitos doentes que podiam ser salvos.


"Em nome do Estado Social de Direito que a Guiné-Bissau proclama formalmente, é totalmente inaceitável que os utentes do nosso sistema nacional de saúde, na sua maioria em situação de extrema pobreza, continuem a custear diretamente do seu bolso a aquisição de materiais básicos de tratamento médico nomeadamente, sondas, agulhas, cateteres, Mascaras de proteção facial, soros fisiológicos, água oxigenada, lâminas de cirurgias, luvas e até fios de sutura, com o agravante de nas regiões as populações serem obrigadas a arcar com os custos de evacuação de doentes que oscilam entre 50 e 150 mil francos CFA" revelou o estudo sobre o estado da saúde guineense.

 O documento mostra que não há uma visão e vontade política dos sucessivos Governos, o que por si só evidencia a existência de uma rede de interesses obscuros que impede a efetivação de um serviço nacional de saúde eficiente e eficaz. Fato que transforma os estabelecimentos hospitalares em autenticas unidades de cuidados paliativos, e que também constitui um perigo enorme para a vida dos profissionais de saúde.

Além de defender que estas falhas e faltas apontadas devem ser suprimidas, a Liga Guineense dos Direitos Humanos exorta o novo Governo a aumentar a dotação do Orçamento Geral do Estado para o setor da saúde, construir mais centros de assistência médica e, ainda, a aumentar a fiscalização da atividade sanitária, no sentido de garantir maior responsabilização dos agentes do setor.

  Inverter o cenário 


 Sistema nacional de saúde da Guiné-Bissau está doente - Estudo Na sua curta declaração aos jornalistas, a nova ministra da saúde guineense, Magda Nely Robalo Silva, avisa que a Guiné-Bissau está ainda longe de grandes progressos no sector:

"Nós vamos precisar de bastante tempo para atingirmos o nível de qualidade de servições que respeite a dignidade de cada guineense, que nos façam sentir cidadãos de primeira categoria, que nos façam não ter medido de adoecer durante a noite e de ter que ir a um serviço de saúde porque sabemos que vamos estar em boas mãos. Nós ainda estamos longe disso", disse.



Para inverter a tendência, Magda Silva avisa que é preciso que todos os atores do sistema da Saúde assumam as suas responsabilidades e reconheçam que têm poder sobre a vida das pessoas




O desafio, segundo a ministra, é fazer com que as pessoas voltem a confiar no sistema de saúde guineense e uma maior consciencialização nos cuidados de saúde. Primeira mulher a dirigir o departamento de luta contra doenças transmissíveis e o programa de luta contra o paludismo (malária) na região africana da OMS, Magda Robalo espera que seja possível aumentar o nível técnico, tanto em termos de diagnóstico como de tratamento no país, dentro de quatro anos e desta forma reduzir a ida de doentes para o estrangeiro. Magda pretende continuar a cooperação, alargar o leque de parceiros, tanto nacionais como internacionais, mas melhorar a capacidade de absorção de ajudas, melhorar a imagem do país e ainda prestar contas aos parceiros.



Fonte da Notícia – Veja Aqui

São Tomé e Príncipe - FINANÇAS DE SÃO TOMÉ EXIGEM À ORGANIZAÇÃO DOS JOGOS JUVENIS DA CPLP DEVOLUÇÃO DE QUASE 180 MIL EUROS

A Inspeção Geral de Finanças de São Tomé e Príncipe acusou a organização dos XI Jogos Juvenis da CPLP de "gestão administrativa e financeira deficiente". 

 A Inspeção Geral de Finanças de São Tomé e Príncipe acusou a organização dos XI Jogos Juvenis da CPLP de "gestão administrativa e financeira deficiente", ordenando a restituição de quase 180 mil euros às contas do Estado. 

 "Os responsáveis dos XI Jogos devem restituir os montantes de STD 221.896,60 e STD 4.167.802 [no total, 179.171,347 euros] referentes a despesas não-justificadas", indica o relatório de auditoria, datado de 03 de julho, a cuja cópia a Lusa teve hoje acesso.



O documento refere que "do ponto de vista das regras da boa gestão administrativa e financeira de fundos públicos, a gestão implementada é considerada deficiente", justificando que toda a gestão "foi centrada na pessoa do diretor dos jogos". 

 "Os documentos justificativos das despesas foram apresentadas de forma avulsa, somente depois de inúmeras insistências da equipa de auditoria, no exercício do contraditório", acrescenta o relatório de auditoria da Inspeção Geral de Finanças. 

 Os Jogos Juvenis da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) decorreram na capital são-tomense entre os dias 21 e 28 de julho, tendo a comissão da CPLP desbloqueado para estes jogos pelo menos 450 mil euros, além de terem sido angariados outros montantes por outros países membros.


Os responsáveis pela execução financeira dos XI jogos utilizaram verba disponibilizada pela CPLP destinada à reabilitação do Liceu nacional para cobrir outras despesas, contrariando o protocolo assinado pelo Estado são-tomense e a Comissão Executiva da CPLP", aponta a inspeção.

 Segundo o relatório, não existem "documentos justificativos das receitas e despesas dos XI jogos da CPLP nos arquivos do Ministério da Juventude,

Desportos e Empreendedorismo" e a comissão dos Jogos realizou várias despesas "à margem de quaisquer procedimentos legais e regulamentares em vigor, incluindo aquisições no exterior".

 Os gestores dos fundos dos jogos da CPLP são acusados também de terem doado bens pertencentes aos XI jogos a outras instituições "sem quaisquer critérios previamente definidos e na ausência de deliberações do Conselho de Ministros e sem guias de remessas e receções".

 O relatório sublinha ainda a "inexistência de inventários de bens afetos aos XI jogos", emissões de cheques em valores avultados e a contração de dívidas de pouco mais de 300 mil euros.




Fonte da Notícia – Veja Aqui

quarta-feira, 17 de julho de 2019

Portugal - Cidadãos surdos já podem ligar para o 112 (sem ajuda). Saiba como fazê-lo

Serviço inovador funciona através de videoconferência.

 

 O Governo lançou uma linha de atendimento de emergência para cidadãos surdos. 

 

 Trata-se da aplicação MAI112, já está disponível para download através do site 112.pt e em breve poderá ser descarregada diretamente nos smartphones através da Play Store (Android) e App Stores (iOS).

 


 Mas como é que funciona este serviço “inovador”?

 

 Através de videoconferência entre a pessoa surda que necessita de ajuda, o operador do Centro de Orientação de Doentes Urgentes e por um intérprete de Língua Gestual Portuguesa que fará a tradução, explica o Governo numa nota.


  A aplicação inclui também geolocalização, enviando para o operador a localização da pessoa que efetua a chamada. Também é possível comunicar com o operador através do envio de uma mensagem de texto, acrescenta ainda.  


O serviço é gratuito e estará disponível em permanência 24 horas por dia, sete dias por semana, em todo o território nacional, para cidadãos portugueses ou estrangeiros.


  Para utilizar o serviço basta ter acesso à internet e fazer a instalação da aplicação no telemóvel.


  O projeto em causa foi desenvolvido pelo Ministério da Administração Interna (MAI) e pela Secretaria de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência e contou com o apoio da Federação Portuguesa das Associações de Surdos.
 

 Fonte da Notícia – Veja Aqui

segunda-feira, 15 de julho de 2019

Portugal - Associação Portuguesa de Deficientes com delegação oficial na Figueira da Foz

Os corpos directivos da delegação da Figueira da Foz da Associação Portuguesa de Deficientes (APD) tomaram ontem posse das novas funções.

 A nova direcção destacou a história que a APD Figueira da Foz teve no passado e que se pretende que se volte a repetir no futuro, agradecendo “a coragem de cada um dos membros que compõem esta direcção em avançarem para um projecto tão desafiante, mas ao mesmo tempo enriquecedor”.



“Seremos representantes de todas as pessoas com deficiência, mas também elos de ligação com os representantes do poder local, estando nós disponíveis para auxiliar a CMFF na medida do que nos for possível”, disse Nuno Miguel Pedrosa. Este acto contou com a presença, entre outros, de José Duarte (presidente da Assembleia Municipal), Diana Rodrigues (vereadora da Acção Social) e José Esteves (presidente da Junta de Freguesia de Buarcos e São Julião). 


O nel destacou a importância e o papel da associação na defesa dos direitos da pessoa com deficiência e sua integração na sociedade de forma activa e interventiva.

Um tema que se revela “um desafio” para os órgãos de poder local, sendo que esta nova associação “é uma oportunidade para dar mais ênfase a estas questões de agora em diante”.

 Elementos da direcção nacional da APD expressaram todo o seu apoio e solidariedade para com a direcção local eleita e disponibilidade trabalhar com a autarquia.

Seguiu-se um período de debate onde ficou claro que a população com deficiência não pretende ter direitos especiais, mas sim e apenas oportunidades iguais.


  Fonte da Notícia – Veja Aqui

domingo, 14 de julho de 2019

Brasil - Conselho da Pessoa com Deficiência empossa presidente e lança selo

Nesta sexta-feira, 12 de julho, o Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Sergipe (CePcD) empossa o seu novo presidente, Antônio Luiz dos Santos, e lança o Selo de Acessibilidade Sergipano (SAS). 

A solenidade está marcada para acontecer às 16h, no auditório do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJ/SE).



O Selo de Acessibilidade Sergipano tem o intuito de promover o reconhecimento dos estabelecimentos e serviços acessíveis às cerca de 500 mil pessoas que possuem algum tipo de deficiência em Sergipe.

 Está sendo lançado pelo Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência com apoio do governo de Sergipe, através da Vice-Governadoria e da secretaria de Estado da Inclusão Social, Assistência Social e do Trabalho (Seit); da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/SE); do Ministério Público do Trabalho (MPT/SE); do Ministério Público Estadual (MP/SE) e do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJ/SE). 

 De acordo com Antônio Luiz, os selos serão divididos na gradação bronze, prata e ouro, obedecendo à Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).


“Se o estabelecimento oferecer acessibilidade de rampas e banheiro adaptado, ele recebe o Selo Bronze. Se, além disso, ele disponibilizar cardápio em braile, ele já ganha o Selo Prata. Mas se ele for além, e também tiver um garçom que fale em Libras (Lingua Brasileira de Sinais) e cumpra a Lei no que se refere à cota de vagas de emprego para pessoas com deficiência, Selo Ouro”, explicou.

 Ainda segundo ele, o Selo quer demonstrar para estabelecimentos comerciais e consumidores que a pessoa com deficiência também é cliente.

“E se é cliente, eles precisam fazer o possível para trazer esse cliente para o seu negócio.

Da mesma forma, se o cidadão que é sensível à causa enxergar um estabelecimento com Selo Ouro de Acessibilidade, com certeza vai querer entrar. Então é positivo para todo mundo”, concluiu Antônio Luis, que será empossado nesta sexta-feira, como presidente do CEDPcD.

 Para a secretária de Estado da Inclusão Social, Lêda Couto, o lançamento do Selo tem grande importância no fomento às formas de inclusão social para pessoas com deficiência em Sergipe.

“Nós fizemos questão de nos somar ao Conselho, não só pela importância que damos ao controle social, mas também por perceber a relevância da implementação do Selo, para incentivar a ampliação do número de estabelecimentos – comerciais ou não – que estão, de fato, preparados para receber e bem atender as pessoas com deficiência do nosso Estado”, concluiu a secretária.


  Fonte da Notícia – Veja Aqui

sexta-feira, 12 de julho de 2019

Guiné-Bissau - WORLD BIKE TOUR VAI DOAR PELO MENOS MEIA CENTENA DE BICICLETAS A CRIANÇAS DA GUINÉ-BISSAU

Na edição do ano passado do WBT, os paraquedistas portugueses da força nacional destacada na República Centro-Africana levaram 50 bicicletas que foram oferecidas a crianças locais.

 Pelo menos meia centena de crianças da Guiné-Bissau, ao cuidado da organização não-governamental “SOS Crianças Talibés”, irão este ano receber bicicletas doadas pela edição do World Bike Tour 2019, anunciou hoje à Lusa a organização. 


 “A organização compromete-se a entregar 50 bicicletas este ano, mas as pessoas que queiram doar a sua [bicicleta, que recebem pela inscrição no evento que se realiza este fim de semana em guinéLisboa] são também convidadas a fazê-lo, pelo que não pode saber-se, em antecipação, quantas bicicletas chegarão à Guiné-Bissau”, disse Luís Castro, organizador do evento, em declarações à Lusa.


Fonte da Notícia – Veja Aqui

quinta-feira, 11 de julho de 2019

Angola - OMS apoia o reforço da vacinação e combate a tuberculose

A vacinação é a medida mais eficaz e rentável para se prevenir e controlar um grande número de doenças infecciosas, incluindo o sarampo, febre-amarela, pneumonia, tuberculose, tétano materno e neonatal, meningite, rubéola e a poliomielite, que continuam a causar vários problemas entre as populações, sobretudo aquelas que vivem nas comunidades mais pobres e vulneráveis. 

 Apesar de se registar progressos significativos na cobertura universal de vacinação, em África, uma em cada cinco crianças não tem acesso a todas as vacinas necessárias e indispensáveis e como consequência, todos os anos, mais de 30 milhões de crianças com menos de 5 anos adoecem com doenças evitáveis pela vacinação e destas, mais de meio milhão perdem a vida.



Em Angola, dados do Ministério da Saúde demostram que, em 2018, a taxa de cobertura vacinal a nível do país foi de 84%, tendo a província de Luanda registado uma das mais baixas, estimada em cerca de 74%, o que impõe maior intervenção das autoridades sanitárias, para a prevenção de doenças e garantia da universalidade da saúde.

 Por forma a contribuir na melhoria da taxa de cobertura vacinal, a OMS com o financiamento do GAVI (Aliança Mundial para Vacinas e Imunização), procedeu hoje, em Luanda, a entrega de duas viaturas ao Ministério da Saúde, para reforçar o programa de vacinação. 

As viaturas serão destinadas aos municípios de Belas e Cacuaco, localidades densamente populosas e com um vasto número de crianças menores de cinco anos sem acesso aos serviços de vacinação.


Comentando sobre o apoio da OMS, o Secretário de Estado da Saúde para Área Hospitalar, Dr. Leonardo Europeu disse: "o apoio da OMS vai reforçar as intervenções em curso do Governo de Angola para a cobertura universal da imunização, uma componente essencial para o alcance dos Objectivos do Desenvolvimento Sustentável e que consta também do Plano Nacional de Desenvolvimento de Angola".

 Referiu ainda que, "por outro lado, os medicamentos doados vão impulsionar o tratamento da tuberculose, doença que continua a representar um problema de saúde pública em Angola, mas pode ser controlada com a disponibilidade de meios necessários".

 Segundo o Representante da OMS em Angola, Dr. Hernando Agudelo, para que todos os angolanos possam sobreviver e prosperar, o país deve intensificar os esforços para garantir que todos os seus cidadãos em idade vacinal recebam os benefícios da imunização, que salva vidas.

 "Angola tem vindo a marcar passos significativos para a universalidade da saúde, porém, é necessário melhorar rapidamente o empenho na afectação de recursos a nível distrital para os serviços de cuidados de saúde primários, a fim de acelerar o acesso e a qualidade dos serviços de vacinação para todas as pessoas em necessidade", enfatizou.

  O Representante da OMS mencionou também a alta incidência da tuberculose no país, onde se registam cerca de 60.000 a 70.000 mil novos casos anualmente, excluindo os casos não reportados por falta de acesso aos serviços de saúde. Angola faz parte dos 30 países do mundo prioritários para o controlo da tuberculose, conforme definição da OMS, em função da existência no país de três principais factores de risco, nomeadamente casos de tuberculose associados ao VIH-SIDA; tuberculose resistente a múltiplos medicamentos; e a co-infecção tuberculose - VIH. 


 Por isso, a OMS procedeu igualmente a entrega ao Governo de Angola do equivalente a meio milhão de dólares em medicamentos, para o tratamento da tuberculose, correspondente ao tratamento completo para 11000 mil pessoas afectadas por tuberculose.

Esta doação contribuirá para o reforço das iniciativas do Governo de Angola de alargar os serviços de diagnóstico e tratamento da tuberculose, a nível de todas as unidades sanitárias do país.

 A cerimónia de entrega de meios da OMS ao Ministério da Saúde foi orientada pelo Secretário de Estado da Saúde para Área Hospitalar, Dr Leonardo Europeio, na companhia do Secretário de Estado para a Saúde Pública, Dr. José Cunha e do Representante da OMS em Angola, Dr. Hernando Agudelo e testemunhada por profissionais da saúde, e parceiros estratégicos da imunização e combate à tuberculose.


  Fonte da Notícia – Veja Aqui - UNESCO Angola