segunda-feira, 4 de abril de 2016

Brasil - Governo realiza curso sobre mobilidade e atendimento a pessoas com deficiência visual

Professores, bibliotecários e representantes de instituições públicas e privadas do Estado de Roraima, da Capital e do interior, participaram nesta sexta-feira, 1º, do Curso de Mobilidade e Atendimento à Pessoa com Deficiência Visual. 
O evento aconteceu na Videoteca do Palácio da Cultura Nenê Macaggi. O curso é uma realização do Governo do Estado, por meio da Secult (Secretaria de Estado da Cultura) com participação da Biblioteca Pública e da Rede de Leitura Inclusiva Roraima. 
A solenidade contou com a presença da secretária adjunta da Secult, Cecy Brasil.



Durante a abertura do curso, a diretora da Biblioteca, Tânia Magalhães, ressaltou a importância do evento. “Vocês são a mola mestra desse curso. 
A inclusão, por meio da leitura é o que existe de mais nobre no mundo da Literatura. Que possamos executar diariamente as nossas ações, onde estivermos trabalhando”, disse. 
 E complementou que a Secretaria de Cultura e a Biblioteca Pública estão à disposição para ajudar no trabalho de inclusão. “Porque a inclusão é fundamental. 
Não podemos alijar nenhum ser humano por suas deficiências”, disse. 


 Durante o evento foi apresentado um vídeo sobre a Fundação Dorina Nowill, que este ano completou 70 anos de trabalhos voltados à Pessoa com Deficiência, além de uma exposição de com vasto material. Para a representante da Fundação DorinaNowill, Perla Assunção, houve um avanço muito grande do primeiro encontro, em outubro passado, até agora.

 “A Fundação vem mobilizando a Rede de Leitura Inclusiva em todo o Brasil, e o nosso objetivo é que os parceiros sejam empoderados e possam trazer às suas potencialidades locais para desenvolverem ações inclusivas.

Esse encontro, é resultado dessa construção coletiva”, disse. Ainda segundo ela, a Fundação trabalha com multiplicadores, com os intermediários da leitura, afim de que, as pessoas possam ter mais acesso. “Agora, com a Lei Brasileira de Inclusão, a gente está fazendo o convite.

Porém, as instituições precisam se preparar, e colocar em prática a acessibilidade nas mais longínquas localidades”, disse. Para Vanise Nascimento, do CAP-DV/RR (Centro de Apoio Pedagógico para Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual), o Centro é referência na área de deficiência visual no estado e mostra aos profissionais como lidar com as pessoas com deficiência visual.

 “Tanto para trabalhar diariamente com esse público, bem como ajudá-los na questão da leitura, em aprovas de vestibular, de concurso, enfim, como trabalhar a mobilidade e atendimento em qualquer situação”, explicou.

 Do município do Uiramutã vieram 18 profissionais para participar do curso. A professora Sara Pereira da Silva, participa pela primeira vez de uma qualificação voltada para essas pessoas, e ressalta a importância da qualificação.

 “É importante para conhecermos mais sobre a situação das pessoas com deficiência visual. Com esse curso vamos levar conhecimento para poder trabalhar e dar melhor qualidade para as crianças que têm deficiência visual”, garantiu.

 A professora Rosinéia Silva, do município de Amajarí, ressaltou que é necessário ter conhecimento para lidar com a pessoa com deficiência.

“É um conhecimento que poucas pessoas detêm, e muitas vezes, por não termos este conhecimento, ficamos constrangidos.

Achei primordial e de grande esclarecimento”, comentou. Lei Brasileira de Inclusão Entrou em vigor, em janeiro passado, a LBI (Lei Brasileira de Inclusão) nº 13.146/2015, também chamada de Estatuto da Pessoa com Deficiência, que afirmou a autonomia e a capacidade desses cidadãos para exercerem atos da vida civil em condições de igualdade com as demais pessoas.

 Agora começa também a batalha para tornar realidade o rol de direitos garantidos pela nova lei. A lei marca o início de um novo olhar sobre os 45 milhões de brasileiros com algum grau de deficiência.


  Fonte da Notícia: Veja Aqui

Nenhum comentário: