domingo, 16 de agosto de 2015

Angola - Mais de seis mil pessoas beneficiam da 5ª fase do Projecto Vem Comigo

Luanda - Seis mil 590 pessoas portadoras de deficiência e seus familiares beneficiaram das acções levadas a cabo na quinta fase do Projecto Vem Comigo em curso desde 2003, numa iniciativa do Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, sob gerência da Associação Nacional dos Deficientes de Angola (Anda). 

 

Esta informação foi prestada hoje, sábado, pelo coordenador do projecto, Silva Lopes Etiambulo, num almoço conferência, tendo referido que neste período 550 portadores de deficiência foram formados com cursos profissionais, 65 reassentados e 507 reintegrados em cooperativas de prestação de serviços. 


Referiu ainda que no mesmo período 150 famílias foram reintegradas em cooperativas agrícolas nas províncias do Bié, Huambo, Huila, Bengo e Malanje e 46 deficientes residentes na província do Moxico beneficiaram de reabilitação física na província do Bié.

De acordo com Silva Lopes Etiambulo, o projecto empenhou-se na sensibilização sobre hiv/sida no seio das pessoas com deficiência e suas famílias com o apoio do Instituto Nacional de Luta contra a Sida, bem como sensibilizou as pessoas no sentido de abandonarem a mendicidade nas diversas artérias da cidade de Luanda.

Neste contexto, o interlocutor criticou o comportamento de certas famílias que usam o portador de deficiência como fonte de rendimento, pois mesmo com os apoios que tem recebido através do projecto Vem Comigo os mesmos são obrigados pelos familiares a voltarem a rua na condição de mendigos. Silva Etiambulo realçou que no concernente a formação profissional a prioridade foi dada ao município de Nharea com centros de artes de ofícios moveis, com vista a beneficiar portadores de deficiência e a juventude em geral com cursos de carpintaria, alvenaria, electricidade, recauchutagem e informática. Foram de igualmente realizados contactos com diversos organismos estatais e da sociedade civil que permitiram obter kits de trabalho, meios de transporte, moto táxis, cadeiras de rodas, canadianas, muletas e cobertores que foram distribuídos as pessoas com deficiência mais carenciadas. Na ocasião Silva Etiambulo anunciou para o final do mês em curso a assinatura de um acordo de cooperação com a Associação dos deficientes das Forças Armadas de Portugal, o qual terá como maior incidência a reabilitação física e a formação profissional.

Habitação


  Em relação a falta de habitação no seio dos portadores de deficiência, o coordenador do Projecto Vem Comigo afirmou que estão a ser encetados contactos como as administrações municipais de varias províncias no sentido de se adquirir terrenos para a construção dirigida de baixa renda.


  Destacou nesta acção os municípios de Viana e Cacuaco em Luanda, assim como os governos provinciais do Huambo, Malanje e Huila na concessão de terrenos destinados aos portadores de Deficiência. Lamentou por outro lado, as dificuldades que enfrentam no escoamento dos alimentos produzidos nas cooperativas agrícolas, uma vez que são cultivados tubérculos, hortaliças e cereais em grandes quantidades que podem contribuir para o abastecimentos dos diversos mercados existentes no país.

A falta de meios financeiros, meios e transporte e a falta de sensibilidade de alguns governantes e político que dificultaram a realização de mais actividades que estavam previstas durante a 5ª fase do projecto Vem Comigo foram alguns dos constrangimentos apontados pelo interlocutor.

Fonte da Notícia. Veja Aqui

Nenhum comentário: