quarta-feira, 29 de abril de 2015

Angola: Associação reconhece esforços do Executivo na inserção de pessoas com deficiência

Luanda - O Governo tem estado a desenvolver uma série de acções e programas com vista a permitir maior inserção das pessoas com deficiência na vida activa do país, garantiu hoje, terça-feira, em Luanda, o vice-presidente da associação Acção para o Desenvolvimento Académico e Social dos Deficientes (ADASDA), Adão Manuel Mendes. Em declarações à Angop, a propósito da “Inserção da pessoa com deficiência na sociedade", o responsável frisou que o Executivo angolano está mais atento a inserção desta franja na sociedade, priorizando o seu acesso às escolas e aos empregos. 


Adão Manuel Mendes sublinha que anteriormente a inserção dos deficientes nas salas de aulas e empregos era difícil, mas hoje, o Governo está a fazer com que os deficientes sintam-se integrados no sistema de ensino.

 “A política que o Governo tem tido, principalmente nos transportes e outros bens públicos onde já estamos a ver espaços como o campo de futebol 11 de Novembro, onde os deficientes podem ver um jogo e sentar em condições”, disse.

Apesar de haver esta evolução, Adão Manuel Mendes sublinha a não existência de rampas em certas passagens pedestres e em outros locais públicos para permitir a travessia dos deficientes, sobretudo os que usam cadeiras de rodas.

 Acrescentou que a associação tem estado a realizar várias actividades de carácter social e humanitário, bem como a entrega de cadeiras de rodas e realização de várias palestras para que a sociedade se mantenha informada sobre e necessidade de valorizar os portadores de deficientes.

Sublinhou que sendo uma associação voltada a desenvolver a situação social e académica dos portadores de deficiência, precisa de apoios para a sua progressão.


A Acção para o Desenvolvimento Académico e Social dos Deficientes (ADASDA) é uma organização filantrópica. Tem como objectivos apoiar académica e socialmente as pessoas com deficiência, bem como colaborar com o Governo angolano nas políticas voltadas para as pessoas com deficiência.

A associação pretende continuar a promover o ensino académico e técnico profissional dos deficientes, bem como fortalecer a capacidade para garantir o bem-estar funcional desta classe.

Fonte da Notícia: Veja Aqui

Nenhum comentário: