quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

No Brasil - Falta integração nas políticas estaduais de São Paulo para pessoas com deficiência


Tuca Munhoz, da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, afirma que falta trabalho 'intersecretarial' na esfera estadual, que segue reproduzindo a lógica da segregação



São Paulo – O secretário adjunto da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida de São Paulo, Tuca Munhoz, afirma que que na mesma área em que ele atua, em nível estadual, não há um trabalho efetivo de inclusão social.

No estado, essas ações são representadas pela Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência.


 Para Tuca, há dificuldade na secretaria estadual em compreender o que seriam políticas públicas para as pessoas com deficiência.

"Essa secretaria não desenvolve um trabalho intersecretarial, envolvendo todas as secretarias no desenvolvimento e efetivação de ações que levem à construção de outra lógica no atendimento aos vários e distintos direitos e necessidades das pessoas com deficiência"

. Como exemplo, o secretário cita a inauguração de uma nova unidade do Centro de Reabilitação Lucy Montoro para pessoas com deficiência visual.

O centro atende às necessidades da pessoa com deficiência, mas, por outro lado, os outros serviços e espaços públicos não estão prontos para o atender a essa parcela da população, repetindo, assim, a lógica de segregação.

 "Se uma pessoa com deficiência visual precisa se alfabetizar, ela pode ser alfabetizada em uma escola comum.

Não precisa ser alfabetizada em um local segregado. Na prefeitura de São Paulo, nós temos ações de inclusão de pessoas com deficiência, e não de segregação".

 Segundo o secretário, os casos mais graves ocorrem na educação, onde não existem políticas de inclusão dos jovens com deficiência que saem das esferas municipais e passam para a estadual e "onde não encontram nada em termos de acolhimento das suas necessidades".

  Fonte: Veja Aqui

Nenhum comentário: