sábado, 18 de janeiro de 2014

Terapia genética restaura visão em seis doentes

Uma equipa de cirurgiões da Universidade de Oxford usou uma técnica de terapia genética para melhorar a visão de seis pacientes que, de outra maneira, teriam permanecido cegos, de acordo com um estudo divulgado hoje pela revista 'The Lancet'.


Segundo o estudo, citado pela agência de notícias espanhola Efe, os doentes foram submetidos a uma cirurgia para pacientes que sofrem de uma doença hereditária rara, que causa a morte das células que detetam a luz, chamada coroideremia. À BBC, o professor de oftalmologia da universidade de Oxford e responsável pela investigação, Robert McLaren, afirmou estar "absolutamente encantado" com o resultado do procedimento, salientando: "Realmente, não podíamos ter tido um melhor resultado". Os exames médicos começaram há dois anos e o primeiro paciente foi Jonatham Wyatt, que tinha então 63 anos e estava progressivamente a perder a visão, mas depois de submetido à cirurgia, a sua visão melhorou, ao passo que outro doente disse que o tratamento tinha tido um "efeito imediato". Se os pacientes continuarem a melhorar, os médicos pretendem alargar o procedimentos cirúrgico a outros doentes afetados por coroideremia, uma doença rara que afeta cerca de mil pessoas no Reino Unido, mas também poderá ser alargada a outras formas genéticas de cegueira, de acordo com o responsável médico pela investigação. A coroideremia caracteriza-se pela perda progressiva da visão, é mais comum nos homens e resulta, na maior parte dos casos, de uma transmissão genética.

  Fonte: DN Ciência

Nenhum comentário: