sábado, 14 de dezembro de 2013

Prémio Pessoa distingue investigadora na área da malária

Maria Manuel Mota, 42 anos, diz à Renascença que se sente "muito honrada" e que "nunca lhe tinha passado pela cabeça" ser distinguida com este galardão. A investigadora Maria Manuel Mota foi distinguida com o Prémio Pessoa 2013, anunciou esta sexta-feira o júri, em Sintra. Maria 


Manuel Mota, 42 anos, licenciou-se na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, desenvolveu estudos sobre a malária e trabalha atualmente no Instituto de Medicina Molecular (IMM), em Lisboa. É considerada uma das principais especialistas a nível mundial no estudo da malária. Em declarações à Renascença, a investigadora diz sentir-se "muito honrada" com a distinção. "Já temos recebido outros prémios, mas têm sido dos nossos pares. Este é um prémio muito transversal à sociedade portuguesa", explica. Na primeira reacção à decisão do júri, Maria Manuel Mota garante ter sido apanhada de surpresa. "Nunca me tinha passado pela cabeça" receber esta distinção, afirma. Na acta do júri que reuniu hoje em Setais, em Sintra, é destacado "o seu empenho entusiástico no que se pode chamar de cidadania da ciência", sendo fundadora e presidente da Associação Viver a Ciência, que "tem como objectivo encorajar a filantropia em Portugal".

  O Prémio Pessoa tem um valor pecuniário de 60.000 euros.  Os passos de Maria Manuel Mota


Natural da freguesia da Madalena, no concelho de Vila Nova de Gaia, fez o mestrado em imunologia e concluiu a sua tese de doutoramento na University College de Londres, em 1998, tendo feito o pós-doutoramento na New York University Medical Center, em 2001. Regressou a Portugal em 2002, onde já foi investigadora principal no Instituto Gulbenkian de Ciência e é, desde 2005, investigadora principal do IMM e professora da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa. "A sua área científica é a malária, uma das causas principais de mortalidade a nível mundial. O grupo que constituiu tem desenvolvido investigação fundamental com vista a esclarecer os mecanismos pelos quais o parasita se desenvolve no hospedeiro humano", lê-se no comunicado do júri. O júri salienta ainda que "a compreensão destes processos é indispensável para o desenvolvimento de estratégias de tratamento e prevenção, nomeadamente através da vacinação". Este trabalho valeu ao grupo que lidera "um financiamento significativo da Fundação Bill & Melinda Gates". O júri realça a sua "produtividade científica de excecional qualidade", da qual sobressaem dez artigos publicados este ano "em prestigiadas revistas da especialidade e outras, como nos Proceedings of the National Academy of Sciences, dos Estados Unidos, e Nature Medicie". Em 2004, Maria Manuel Mota foi uma dos 25 jovens cientistas galardoados com European Young Investigator Award, de mais de um milhão de euros, que lhe permitiu continuar a sua investigação sobre o parasita da malária, durante cinco anos, no IMM. Na edição de 2010, o Prémio Pessoa já tinha distinguido outra cientista também do Instituto de Medicina Molecular, neste caso a directora executiva, Maria do Carmo Fonseca. Prémio Pessoa nos anos anteriores Esta é a 27ª edição do Prémio Pessoa, atribuído anualmente a uma personalidade que "tiver sido protagonista de uma intervenção particularmente relevante e inovadora na vida artística, literária ou científica do país". Em 2012, foi atribuído ao investigador norte-americano Richard Zenith, um dos maiores especialistas na obra de Fernando Pessoa, e que está radicado em Portugal desde os anos 1980. Em anos anteriores foram distinguidos, entre outros, o actual Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, o historiador José Matoso, os poetas António Ramos Rosa e Herberto Helder (que recusou o galardão), a pianista Maria João Pires, o arquiteto Eduardo Souto de Moura, o compositor Emmanuel Nunes, o constitucionalista José Joaquim Gomes Canotilho, a historiadora Irene Flunser Pimentel e o ensaista Eduardo Lourenço. O júri, presidido por Francisco Pinto Balsemão, integra Fernando Faria de Oliveira, António Barreto, Clara Ferreira Alves, Diogo Lucena, Eduardo Souto de Moura, João Lobo Antunes, José Luís Porfírio, Maria de Sousa, Mário Soares, Miguel Veiga, Rui Magalhães Baião, Rui Vieira Nery e Viriato Soromenho-Marques. O Prémio Pessoa é uma iniciativa do semanário Expresso, com o patrocínio da Caixa Geral de Depósitos

. Fonte: Veja Aqui

Nenhum comentário: