quarta-feira, 23 de maio de 2012

Tags: braço mecânico, tecnologia, tetraplégicos, pesquisa, cientistas


Um dispositivo criado por israelenses permitiu que uma paraplégica britânica pudesse caminhar todo o percurso da Maratona de Londres de 2012 – cerca de 26,2 milhas (42 quilômetros). Claire Lomas, 32, que ficou paraplégica depois de um acidente de equitação, levou 16 dias para percorrer a linha de chegada com a ajuda do aparelho ReWalk, um exoesqueleto inventado pelo dr. Amit Goffer. Trata-se do primeiro aparelho comercialmente disponível com tecnologia que permite pessoas paraplégicas caminhar em longas distâncias.
O dispositivo metálico tem um motor com uma matriz de sensores, integrados a um sistema controlado por computador e com baterias recarregáveis. Algoritmos sofisticados analisam os movimentos do corpo, que então estimulam padrões de marcha.
“Foi a primeira vez que o ReWalk foi usado para tamanha distância e no âmbito de uma maratona”, diz Oren Tamari, CEO da Argo Medical Technologies. “Para nós é uma validação do conceito e do projeto”, diz ele. Claire disse que levou algum tempo para se adaptar ao aparelho. “É tudo uma questão de confiar em seus pés, embora eu não os sinta”, disse.

Tags: andar, caminhar, ciência, deficiente, equipamento, paraplégico, tecnologia


Nelson F. A. Mendes
O que a tecnologia não faz.
É pena, porque nem sempre é usada da boa maneira. Quando é usado da melhor forma, faz marravilha, coisas bonita.

Nenhum comentário: