quarta-feira, 16 de maio de 2012

Radiocirurgia não invasiva no IPO/Porto reduz tempo de tratamento


O Serviço de Radioterapia do Instituto Português de Oncologia do Porto apresentou, esta quarta-feira, uma nova técnica de radiocirurgia não invasiva, pioneira na Península Ibérica, que, além de reduzir o tempo de tratamento, melhora a qualidade de vida dos doentes.


Segundo o presidente do IPO/Porto, Laranja Pontes, "é um tratamento de vanguarda e o IPO-Porto é o único instituto da Península Ibérica a aplicar esta nova técnica".
Este método permite a realização de radiocirurgia intracraniana e extracraniana, com "elevada precisão na definição do alvo a eliminar", sustentou.
"Comodidade, rapidez e precisão" foram também apontadas pela diretora do Serviço de Radioterapia, Helena Pereira, como as principais vantagens do novo método, a que se alia "a redução da toxicidade dos tecidos que rodeiam as lesões benignas e malignas a tratar".
A responsável apontou a sua utilização nos tumores intracranianos, referindo que ao contrário do que acontece com o método convencional, "evita a utilização de uma espécie de esquadria fixada por parafusos cruentamente ao crânio do doente".
"O doente tinha de esperar com aquilo na cabeça até que o plano de tratamento estivesse feito, com o incómodo de trazer aquele capacete sempre fixado. Este novo método permite fazer o trabalho com a mesma precisão ou mais e com muito maior comodidade para o doente", acrescentou.

Fonte: Jornal de Noticia

Nelson F. A. Mendes
As novas tecnologia, esta a melhorar de dia para dia.
E tenho a certeza que os médicos Portugueses estão a nível dos melhores médicos do mundo.
O que me deixa um pouco triste, é que nem sempre são valorizados.
Mas a alguns médicos que aproveitam estas desvalorizações, deixando cair no desleixo.

Nenhum comentário: