quinta-feira, 17 de maio de 2012

Dois tetraplégicos comandaram braço robótico com a mente para beber

Duas pessoas, paralisadas, conseguiram beber pela primeira vez sem ajuda, graças a um braço artificial que controlaram com o cérebro. Implante no cérebro comunicou com a máquina, que lhes levou a garrafa à boca. Veja o vídeo.

A ideia ocupou os cientistas durante anos: "Se os impulsos cerebrais são elétricos têm de poder traduzir-se numa máquina".

Durante muitos anos de trabalho foi esta a linha, sempre aperfeiçoada e testada, de uma investigação financiada pelo Instituto Nacional de Saúde dos EUA, que tinha como objetivo a construção de interface cérebro-computador.

O projeto, batizado com o nome de "Braingate" -, a porta do cérebro, em inglês -, foi publicado na revista científica "Nature", esta quarta-feira.



Um pequeno dispositivo, do tamanho de uma aspirina infantil, foi inserido no cortex motor do cérebro, a zona que controla os movimentos. O aparelho contém perto de uma centena de pequenos elétrodos com a espessura de um cabelo, capazes de captar os sinais elétricos produzidos pelo cérebro.

Fonte. Jornal de Notícia

Nelson F. A. Mendes
A vida é surpreendente. Porque quando as pessoas querem fazem maravilha, usando as novas tecnologia.
Essas tecnologias podem ajudar a melhorar a vida de milhares de pessoas com deficiência, mas que nem sempre é possível, por ter um custo elevado, que não é compatível com a nível de vida de pessoas com deficiência, que é o meu caso.

Nenhum comentário: