segunda-feira, 30 de abril de 2012

Em Moçambique Portadores de deficiência com mais acesso à educação

A organização humanitária, sem fins lucrativos, HANDICAP Internacional, vocacionada à assistência de pessoas portadoras de deficiência de vária ordem, lançou, esta Quarta-feira, em Maputo, o projecto “Alfabetização Inclusiva”, que vai abranger cerca de seis mil beneficiários.
Segundo um dos responsáveis pela área de projectos naquela organização humanitária não-governamental, Rosalina, o projecto, esta Quarta-feira, lançado tem como objectivos, contribuir para melhorar o acesso à alfabetização formal e não-formal e à programas de habilidades para pessoas com deficiência, empoderamento e redução da vulnerabilidade dos grupos mais desfavorecidos, particularmente as aos portadoras de deficiência.
Numa primeira fase, vai abranger nove bairros suburbanos das cidades de Maputo e Matola, onde 5 por cento da população sofre de alguma deficiência.
Espera-se que este projecto dentre vários resultados, venha facilitar o acesso à educação formal por parte das pessoas portadoras de deficiência, criação de um programa individual de apoio para os mais vulneráveis com vista ao seu acesso aos programas de Alfabetização e Educação.
Por seu turno, o vice-ministro da Educação, Augusto Luís, disse que a alfabetização e educação de adultos é uma modalidade de ensino introduzida pelo Sistema Nacional de Educação, tendo em vista materializar o direito à educação de todos os cidadãos, para fazer face aos desafios do desenvolvimento do país nos mais diversos domínios.
Augusto Luís afirmou ainda que na sequência do elevado índice da taxa de analfabetismo, abrangendo cerca de nove milhões de jovens e adultos, o governo aprovou a Estratégia de Alfabetização e Educação de Adultos para o quinquénio 2010-2015, a segunda na história de Moçambique pós-independência.
“A alfabetização é uma das ferramentas que permite aos homens e mulheres que não tiveram oportunidade de frequentar a escola, a usufruírem plenamente desse direito”, conta para depois acrescentar que o projecto “Alfabetização Inclusiva” ora lançado, vai contribuir significativamente para a mudança de atitudes quanto a estigmatização, no seio das pessoas portadoras de deficiência, passando assim a valorizar o seu potencial e partilhá-lo na sociedade.

A cerimónia de lançamento que teve lugar no Ministério da Educação, contou com a presença de membros do Movimento de Educação Para Todos, Handicap International, da União Europeia, Associação dos Deficientes de Moçambique, entre outros.

Fonte: clique Aqui

Nelson F. Almeida Mendes
Mas que maravilha.
Só com a educação e o melhoramento no sistema de saúde, é que uns pais conseguem se desenvolver.
Parabéns para estes pais africano de língua oficial português.
Parabéns Moçambique.

Nenhum comentário: