quinta-feira, 15 de março de 2012

Idosa viveu três semanas em maca da urgência


Se não está falido, o setor social está perro. Custa a perceber como uma idosa passou 23 dias na urgência do Hospital de Santo António, no Porto, sem estar doente. Não tinha para onde ir e ali cuidaram dela.
Fernanda mudou-se em miúda de Padronelo para o Porto, e desse tempo vêm os olhos que se acendem com a memória da neve no Marão. Mas as mãos calejadas, as rugas e o corpito mirrado dão-lhe outra idade, talvez não tantos como os 81 anos que de facto conta. Sozinha, caiu em casa, um quinto andar em velho prédio da velha Rua de S. João, e teve a sorte de darem com ela estendida e a levarem ao hospital. Nada os exames revelaram, mas percebeu-se então que não poderia regressar à casa, insalubre e degradada.
Logo os serviços sociais do hospital começaram a mexer cordelinhos sem os conseguirem desatar: não houve resposta da Segurança Social, e só ontem outro contacto deu frutos: a Nandinha, como há quem a trate carinhosamente na sala de decisão clínica em que tem passado os dias, vai hoje, pela mão de uma sobrinha-neta, para o lar da Associação Social Cultural de S. Nicolau, onde reside uma irmã e cujo centro de dia já frequentava.

Fonte: jornal Noticia

Nelson F. A. Mendes
Esto é o espelho das dificuldades que os idosos e os deficientes estão a passar neste momento que Portugal esta a passar.
É muito triste, mas é a verdade. E dói muito ao saber que á mais pessoas nessa situação.

Nenhum comentário: